Ypiranga quer usar a Série C para salvar a temporada de 2017 - JEC - Esportes - A Notícia

Versão mobile

 

As nove pedras no caminho do JEC12/05/2017 | 06h02Atualizada em 13/05/2017 | 12h31

Ypiranga quer usar a Série C para salvar a temporada de 2017

Rebaixada para a Segunda Divisão do Gauchão, equipe aposta fichas na Terceira Divisão para fechar o ano de forma mais honrosa

Ypiranga quer usar a Série C para salvar a temporada de 2017 Porthus Junior/Agencia RBS
Ypiranga fez dois jogos-treinos na intertemporada diante do Juventude, em Caxias do Sul (RS) Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

O Ypiranga-RS, último clube da série As Nove Pedras no Caminho do JEC, é justamente o primeiro adversário do Tricolor na Série C do Brasileiro, no domingo, às 15h30, no Estádio Colosso da Lagoa, em Erechim (RS). Na teoria, o rival não chega a assustar, especialmente pelo recente rebaixamento à Segunda Divisão do Gauchão. Na prática, a queda trouxe fatos mais positivos ao Canarinho de Erechim.

Um deles é a parceria com a LA Sports, responsável pela contratação de alguns jogadores para o Ypiranga – casos do atacante Guilherme Parede, ex-Coritiba, e do lateral Héracles, ex-JEC.

Outra evolução do Ypiranga após o rebaixamento está na folha salarial, que agora gira em torno de R$ 150 mil.

– A direção do Ypiranga entende que a Série C pode salvar a temporada do clube. Por isso, tem se esforçado para montar um time competitivo, capaz de buscar o acesso à Série B – afirma o jornalista Fabio Lazzarotto, da Rádio Cultura FM 105,9 de Erechim.

A ambição, no entanto, não significa que o time esteja pronto para buscar o objetivo. Para Fabio Lazzarotto, a atual realidade do Ypiranga é brigar contra mais um rebaixamento.

– Ficar na Série C é o foco principal. Esta ideia de acesso veio porque o Ypiranga esperava um cenário pior na Terceira Divisão e viu que a competição não é tão complicada quanto parece. Mas, diante do que já aconteceu neste ano, o melhor mesmo já seria se manter na disputa – completa.

Sendo ou não protagonista no grupo B, pelo menos a equipe canarinho apresentará jogadores conhecidos em Santa Catarina. Além do lateral-esquerdo Héracles, os gaúchos contrataram o meia Safira, um dos destaques do Barroso no Campeonato Catarinense.

Após a chegada do jogador, há uma unanimidade entre a imprensa local de que o Ypiranga conseguiu melhorar a criação no meio-campo.

– Faltava poder de fogo para o time. O Safira e o William Koszlowski conseguiram suprir esta deficiência do time – avalia Fabio.

Se no setor ofensivo havia preocupação, na defesa a torcida confia no goleiro Carlão, destaque e ídolo do time. Apesar da queda no Gauchão, ele permaneceu e sonha em dar a volta por cima na Série C.

Experiência no banco de reservas

Outra cara bem conhecida do torcedor do Joinville estará no banco de reservas do Ypiranga. Guilherme Macuglia, técnico que dirigiu o JEC na disputa da Série C de 2007, terá a missão de complicar a vida de sua ex-equipe no próximo domingo.

Por enquanto, o trabalho dele é bem avaliado em Erechim (RS). Agora, após a chegada da LA Sports, Macuglia esperar ter mais peças à disposição. Ainda assim, recebeu o aval da diretoria para providenciar a contratação de três nomes de sua confiança – o zagueiro Everton e os meias Tiago Pedra e Pedro Ivo.

Na próxima semana, devem chegar mais reforços. Tudo pela vaga nas quartas de final, que escapou no ano passado, quando o time somou dois pontos a menos do que o quarto colocado.

Em 2016, os gaúchos terminaram a fase de classificação na sexta posição, com 28 pontos – o Juventude, quarto colocado, somou 30.

 
A Notícia
Busca