Ambições maiores na Tombense - JEC - Esportes - A Notícia

Versão mobile

As nove pedras no caminho do JEC08/05/2017 | 06h01Atualizada em 08/05/2017 | 06h01

Ambições maiores na Tombense

Equipe mineira chega na Série C disposta a fazer uma campanha melhor do que a de 2016 e agora sonha com o acesso para a Série B

Ambições maiores na Tombense Bruno Cantini/Atlético,Divulgação
Tombense fez apenas campanha razoável no Mineiro, campeonato no qual terminou na sétima colocação Foto: Bruno Cantini / Atlético,Divulgação

A Tombense, equipe de Minas Gerais, está longe de ser um dos clubes mais tradicionais da Série C, mas apresenta uma fórmula de investimento que trouxe sucesso a outros times emergentes do País: a administração como clube-empresa.

O departamento de futebol dos mineiros é gerenciado pela Brazil Soccer, agência de Eduardo Uram, um dos empresários do futebol mais famosos do Brasil.

Em razão deste controle, vários dos jogadores de Uram estão na Tombense. A parceria tem rendido boas campanhas ao time de Tombos. No ano passado, por exemplo, a Tombense esteve muito próxima de avançar à segunda fase da Série C – faltou um ponto para a classificação.

Antes, em 2015, no primeiro ano da Série C, a equipe foi a sétima colocada da chave B, resultado considerado dentro da normalidade para quem estreava na competição. Em 2014, a Tombense jogava a Série D e conseguiu o acesso com o título nacional da Quarta Divisão.

Como se vê, há crescimento ano a ano, fato que dá confiança aos torcedores e à imprensa de Tombos.

– No primeiro ano, a Tombense quis conhecer a Série C. No segundo, até buscou a classificação. Agora, em 2017, vai brigar entre os quatro primeiro e deseja subir para a Série B para se estruturar ainda mais – afirmou o radialista Hércules Freitas, da Rádio Tombos Sonora FM 104,9.

Nesta temporada, a campanha no Campeonato Mineiro foi razoável – sétima colocação. O resultado causou alguns questionamentos ao técnico Raul Cabral, ex-comandante do Avaí. No entanto, ele continua prestigiado e dirigirá a Tombense na partida de estreia na Série C, no próximo sábado, às 15h30, contra o Tupi-MG.

Além do treinador, outros jogadores como o lateral Marrone (ex-Avaí), o volante Coutinho (ex-Figueirense) e o atacante Tauã (ex-Avaí) fazem parte do time-base dos mineiros.

No entanto, o destaque é o volante Pedro Castro, revelado pelo Santos. Ele é tratado como o armador do meio pela visão de jogo e boa habilidade para driblar.

Fator casa será um diferencial

Uma das apostas da Tombense para conseguir a classificação à segunda fase da Série C é o Estádio Antônio Guimarães de Almeida, o Almeidão. Apesar da limitação de capacidade – no máximo, 3 mil pessoas –, o palco costuma receber 2 mil torcedores, o que torna o estádio um pequeno caldeirão.

– A Tombense tem um dos melhores públicos do Campeonato Mineiro – garante Hércules Freitas.

No ano passado, o estádio realmente ajudou os mineiros. Em nove partidas como mandante, a Tombense venceu sete, empatou uma (com o Guarani, vice-campeão) e perdeu outra (para o Boa, campeão).

O retrospecto positivo, no entanto, não se repetiu no Campeonato Mineiro deste ano. Em seis partidas em casa, a Tombense perdeu três vezes, somou um empate e ganhou em duas ocasiões. Este é um dos motivos de questionamento a Raul Cabral.

A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros