Cão guia vira xodó do JEC ao assistir jogo vestindo a camisa do clube - JEC - Esportes - A Notícia

Versão mobile

Torcida canina23/04/2017 | 14h23Atualizada em 24/04/2017 | 09h40

Cão guia vira xodó do JEC ao assistir jogo vestindo a camisa do clube

Iniciativa que ganhou destaque nas redes sociais do clube deve se repetir na noite deste domingo (23).

Cão guia vira xodó do JEC ao assistir jogo vestindo a camisa do clube Diogo Amato/JEC/
Kant foi vestido a caráter assistir ao jogo do JEC contra o Sport, na quarta. Neste domingo ele deve voltar à Arena. Foto: Diogo Amato/JEC

Um jequeano 'diferente' está chamando a atenção dos torcedores do Joinville Esporte Clube (JEC), nas redes sociais e nas ruas. Na última quarta-feira (19), o cão guia Kant foi vestido a caráter assistir ao jogo da equipe contra o Sport Club do Recife, em jogo válido pela Copa do Brasil. Foi a primeira vez que ele e sua dona, a carioca Suely Cristina Carvalho de Souza, que é portadora de deficiência visual, acompanharam uma partida do JEC das arquibancadas da Arena.

A iniciativa ganhou destaque nas redes sociais do clube e deve se repetir na noite deste domingo (23), quando o JEC enfrenta a equipe do Brusque, às 19h, pelo Campeonato Catarinense. 

A ideia de levá-los ao estádio partiu do namorado de Suely, o torcedor Ricardo Müller. Ele tinha o desejo de acompanhar os jogos do clube junto da família. Cabe a ele a missão de narrar lance a lance das partidas para a mulher, além do apoio de um rádio de pilha.

Suely é portadora da retinopatia da prematuridade, condição médica em que ocorre uma alteração no crescimento da retina, e só enxerga vultos. Ela foi uma das 15 pessoas no estado a receber um cão guia por meio do Centro de Formação de Treinadores e Instrutores de Cães Guia de Balneário Camboriú, em julho de 2016.

– Ele é o meu par de olhos. Desde que o Kant passou a me acompanhar muita coisa mudou. Sinto que tenho mais autonomia para fazer as minhas coisas e preciso de menos ajuda de outras pessoas – conta Suely.

A necessidade de Suely em ter esse acompanhamento facilitou o acesso do animal no estádio. A presença de cães guia é permitida por meio da Lei nº 11.126, em locais públicos e privados. A liberação só não é permitida em locais esterilizados em hospitais, como centros cirúrgicos e UTIs, além de áreas de manipulação e processamento de alimentos.

Xodó da torcida
A presença do torcedor canino foi bem vista pela torcida jequeana e o animal acabou virando xodó nas arquibancadas.

– As pessoas chegam pra ver ele, pedem pra bater foto, e ele até já é reconhecido nas ruas. Eu deixo que brinquem, mas quando ele está com colete significa que está a trabalho e nessa hora é importante que as pessoas evitem chamar muito a atenção dele para que ele não perca o foco – explica.

 
 
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros