JEC domina, mas não sai do 0 a 0 com o Paysandu na Arena - JEC - Esportes - A Notícia

Versão mobile

Futebol08/10/2016 | 19h26

JEC domina, mas não sai do 0 a 0 com o Paysandu na Arena

Tricolor perdeu várias oportunidades e aumentou o jejum de vitórias na Série B

JEC domina, mas não sai do 0 a 0 com o Paysandu na Arena Salmo Duarte/Agencia RBS
Fernando Viana lamenta o gol perdido no segundo tempo Foto: Salmo Duarte / Agencia RBS

A sina do Joinville dentro da Arena continua. Neste sábado à tarde (8), contra o Paysandu, o time dominou as ações da partida, criou várias oportunidades, perdeu chances incríveis, mas não saiu do 0 a 0, dando mais um passo em direção à Série C do Campeonato Brasileiro. Com mais esse tropeço, o JEC aumenta para nove a "seca" de vitórias na Série B. Além disso, mantém o jejum de bons resultados em seus domínios e a vice-lanterna da competição. Na próxima rodada, o time volta a jogar na Arena, desta vez contra o Paraná, no dia 15.
Desesperado por voltar a vencer em casa e tentar sair do incômodo grupo de rebaixados, o JEC partiu para cima do Paysandu desde o primeiro minuto. Não demorou para descobrir que o lado direito encurtaria o caminho para o gol. Reginaldo e Erick Luis faziam bem as passagens e criavam com certa liberdade. Aos cinco minutos, Carlos Alberto avançou pela direita e viu Claudinho dentro da área. Ele tirou no goleiro e tocou no canto oposto, mas a bola foi caprichosamente para fora.
Aos nove, uma boa trama pelo meio quase encontrou Claudinho de novo na área, mas houve desvio da zaga. Logo depois, Erick Luis tabelou com Jael, recebeu livre, mas chutou em cima do goleiro Emerson, desperdiçando grande chance. Já o Paysandu só foi assustar após os 20 minutos, em duas faltas cobradas por Tiago Luís, ex-JEC. Mesmo com mais posse de bola, o time da casa passou a errar passes e esbarrar na defesa dos paraenses.
No segundo tempo, o Joinville voltou do intervalo com Fernando Viana no lugar de Claudinho. Ainda assim, Jael era o atacante mais acionado, mas o artilheiro não estava em tarde inspirada. Enquanto o JEC apostava nos cruzamentos próximos à meta adversária, o Paysandu tentava, timidamente, com chutes de fora da área. Jhonatan foi praticamente um espectador do jogo na etapa final.
Sem resultados satisfatórios, o técnico Ramon Menezes sacou Erick Luis e Carlos Alberto e colocou em campo Giva e Aldair. O "prata da casa" acabou sacudindo a partida. Aos 32 minutos, ele recebeu dentro da área, tirou a marcação e cruzou rasteiro. A bola passou à frente da meta de Emerson, sem que ninguém do Tricolor aparecesse para empurrá-la para as redes.
Aos 38, o lance mais incrível do jogo: Jael bateu falta no canto esquerdo de Emerson, que rebateu nos pés de Viana. O atacante chegou com força e acertou o pé da trave do Paysandu, quase arrancando o grito de gol dos 3,2 mil torcedores presentes. O placar, no entanto, permanecia em branco. Dois minutos depois, Aldair bateu de longe, com veneno, e exigiu outra grande defesa do goleiro. Nos instantes finais, o mesmo Aldair fez boa jogada pela esquerda e cruzou na cabeça de Rafael Donato, que mandou para fora.
No apito final do árbitro Flávio Rodrigues de Souza, outro empate amargo na Arena Joinville.


Joinville 0 x 0 Paysandu

Joinville
Jhonatan
Reginaldo
Rafael Donato
Ligger
Fernandinho
Naldo
Tinga
Erick Luís (Giva)
Carlos Alberto (Aldair)
Claudinho (Fernando Viana)
Jael
Técnico: Ramon Menezes

Paysandu

Emerson
Edson Ratinho
Fernando Lombardi
Gualberto
Lucas
Rodrigo Andrade
Augusto Recife (Domingues)
Jhonnatan
Tiago Luís
Jobinho (Lincoln)
Leandro Cearense

Técnico: Dado Cavalcanti

Arbitragem: Flávio Rodrigues de Souza (SP), auxiliado por Herman Brumel Vani (SP) e Anderson José de Moraes Coelho (SP).
Local: Arena Joinville.

 
 

Siga JEC na Rede no Twitter

  •  
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros