"Quem não acha tempo para a saúde, vai ter que arrumar para doença", diz neurologista - Economia - A Notícia

Versão mobile

 

Bem-estar no trabalho10/05/2018 | 12h40Atualizada em 10/05/2018 | 12h48

"Quem não acha tempo para a saúde, vai ter que arrumar para doença", diz neurologista

Fabiano Moulin fez palestra sobre saúde durante a Expogestão 2018, em Joinville, nesta quinta-feira

"Quem não acha tempo para a saúde, vai ter que arrumar para doença", diz neurologista Salmo Duarte/A Notícia
Foto: Salmo Duarte / A Notícia

Saúde e bem-estar foram o tema da palestra conduzida pelo médico neurologista e especialista em neurologia cognitiva e do comportamento, Fabiano Moulin, durante a manhã desta quinta-feira (10) na Expogestão 2018, em Joinville. Segundo ele, a saúde é um investimento que as empresas podem fazer para os seus colaboradores.

Moulin apresentou dados que comprovam um aumento do suicídio, acompanhando o crescimento da produtividade ao longo das últimas décadas, desde os anos 1950. De acordo com ele, vivemos uma epidemia de depressão e metade da população vai ter sintomas que podem preencher o diagnóstico desta doença.

— O primeiro ponto é reconhecer a depressão e depois entender que ela é muito comum. Não está relacionada à fraqueza ou moleza e não adianta falar para a pessoa levantar e ir trabalhar. Temos que ter cuidado com nossos preconceitos — explica.

Veja como a enxaqueca pode afetar sua produtividade no trabalho 

Outro dado apresentado foi de que metade dos adultos em atividade laboral vai passar por um transtorno mental em algum momento da vida. Segundo o especialista, nós morreremos cada vez menos de câncer ou AVC, mas vamos adoecer mais com depressão, ansiedade e, seguinte, por suicídio, se não fizermos algo para melhorar esta situação.

— Quem não acha tempo para a saúde, vai ter que arrumar para a doença — resume.

Fabiano Moulin: Médico neurologista, especialista em Neurologia Cognitiva e do Comportamento.Tema: Saúde e bem-estarPalestra: O cérebro, nosso guia pela jornada da vida
Foto: Salmo Duarte / A Notícia

Algumas sugestões para melhorar a saúde mental são ter um propósito diferente para cada mudança que houver na sua vida e viver mais o presente ao invés de se preocupar tanto com futuro ou passado.

Moulin também sugere exercitar a gratidão e ter estímulos cognitivos, como fazer um diário, ler, meditar e ouvir música. Tudo isso ajuda a reduzir os riscos de doenças mentais.

Confira algumas dicas do palestrante:

- Preste atenção na sua atenção às coisas;
- Lazer e família são essenciais;
- Faça para e com os outros;
- Mantenha-se curioso;
- Cuide do coração;
- Durma bem;
- Não ignore as doenças silenciosas;
- Saia do lugar, faça atividades físicas.

CONHEÇA FABIANO MOULIN

O Dr. Fabiano Moulin de Moraes é médico pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), neurologista e mestre em Ciências pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), preceptor médico da Residência de Neurologia da Universidade Federal de São Paulo e membro titular da Academia Brasileira de Neurologia (ABN).

Leia mais:

Mudanças corporativas se baseiam em comportamento e métricas, explica o executivo Peter Walker

Piangers: "Temos muitas ferramentas tecnológicas, mas pouca imaginação"

"A transformação digital pode ser uma oportunidade", diz palestrante

 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaDiminui o número de joinvilenses mortos em acidentes de trânsito na última década https://t.co/Gnml3keIuc #LeianoANhá 1 minutoRetweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaNúmero de joinvilenses mortos em acidentes de trânsito cai na última década https://t.co/aOdZR5HoGA #LeianoANhá 11 minutosRetweet
A Notícia
Busca