Construtora de Joinville investe em 'home clubs' no Litoral Norte - Economia - A Notícia

Vers?o mobile

 
 

Economia03/01/2018 | 19h26Atualizada em 03/01/2018 | 19h26

Construtora de Joinville investe em 'home clubs' no Litoral Norte

Somado, valor geral de vendas (VGV) de dois residenciais chega a R$ 250 milhões

Construtora de Joinville investe em 'home clubs' no Litoral Norte Rôgga/Divulgação
Foto: Rôgga / Divulgação

A Rôgga Empreendimentos, de Joinville, entrega até a segunda quinzena de janeiro o Velutti Home Club, em Penha, com duas torres e 150 apartamentos. O imóvel  é o segundo entregue pela construtora no Litoral Norte catarinense em um período de 60 dias. Recentemente, a empresa entregou as chaves do Bali Beach Home Club, hoje o maior empreendimento imobiliário de Balneário Piçarras, com 324 unidades. Somado, o valor geral de vendas (VGV) dos dois residenciais é de aproximadamente R$ 250 milhões.

Confira mais notícias de Joinville e região

Os investimentos na região na modalidade home club, tendência do mercado por causa da segurança e comodidade, serão o foco da construtora ao longo de 2018. Além dos 474 novos apartamentos entregues entre dezembro e janeiro, ambos com 100% de comercialização, está previsto ainda no mês que vem o pré-lançamento do Venice, em Balneário Piçarras. O empreendimento terá cerca de 200 apartamentos, e o VGV estimado é de R$ 110 milhões. Um quarto condomínio, localizado na praia Alegre, em Penha, está em execução e tem previsão de entrega para 2020. O Itacolomi deve contar com 280 unidades e tem VGV estimado em R$ 130 milhões.

De acordo com a avaliação do presidente da construtora, Vilson Buss, os investimentos terão impacto direto na economia no Litoral Norte. Entre eles, o aumento no número de empregos formais no ramo de construção civil, a arrecadação dos municípios com o Imposto sobre Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU) e o comércio.

– Na região, um volume de entrega de apartamentos desse porte, quase 500 somente entre dezembro e janeiro, movimenta vários setores econômicos. Um dos maiores beneficiários é o comércio de móveis e decoração porque calculamos, em média, R$ 100 mil por apartamento em mobília e design, o que já injeta em torno de R$ 50 milhões na economia local – estima o empresário.

 
A Notícia
Busca