'Vamos tentar reverter a decisão', diz Acij sobre fechamento do Ibama em Joinville - Economia - A Notícia

Versão mobile

Repercussão23/11/2017 | 15h33Atualizada em 23/11/2017 | 15h40

'Vamos tentar reverter a decisão', diz Acij sobre fechamento do Ibama em Joinville

Escritório do órgão federal deve fechar em Joinville no dia 31 de dezembro

'Vamos tentar reverter a decisão', diz Acij sobre fechamento do Ibama em Joinville Salmo Duarte / A Notícia/A Notícia
Fechamento do escritório do Ibama, em Joinville, programado para o dia 31 de dezembro deste ano Foto: Salmo Duarte / A Notícia / A Notícia

O fechamento do escritório do Ibama, em Joinville, programado para o dia 31 de dezembro deste ano, repercutiu negativamente entre lideranças de entidades e grupos representativos da cidade. A decisão está oficializada via portaria da presidência do órgão federal.

Ibama vai fechar o escritório de Joinville

O vice-presidente da Associação Empresarial de Joinville (Acij), Mário Cezar de Aguiar, lamentou o encaminhamento e diz que a entidade vai tentar reverter a decisão. Segundo ele, essa é uma situação inaceitável e recai sobre o contribuinte.

— É uma decisão lamentável porque os licenciamentos são morosos e têm muitos critérios e sem o órgão no município essa morosidade e as dificuldades aumentam tanto para as pessoas físicas quanto para as empresas. Inibe investimentos, atrapalha o desenvolvimento. É incrível que ao invés de aumentar a estrutura para melhorar a celeridade dos processos eles optem por esse caminho — aponta.

Para a coordenadora do projeto Babitonga Ativa da Universidade da Região de Joinville (Univille), Marta Cremer, se mantida, a decisão representa perda inestimável para a região.

— Tanto no que se refere ao ambiente terrestre quanto no marinho, sem este órgão, que nos prestava apoio importante, a gente se sente desamparado porque são poucos órgãos que ficam e, de fiscalizador, sobra só a Polícia Militar Ambiental na região, que tem pouco efetivo. Não dá para entender o motivo apresentado, do ponto de vista técnico, pela simples contenção de gastos porque é um grande retrocesso, pois trabalho tem e esse não é um território obsoleto — defende ela.

O biólogo Fabiano Grecco de Carvalho, membro do Grupo Pró-Babitonga, formado por 26 entidades representativas, destaca que a medida é uma situação complicada, considerando que a atuação do Ibama em Joinville já apresentava sobrecarga. Para ele, com a transferência das atribuições locais para a unidade de Itajaí os processos e serviços de responsabilidade do órgão tendem a ser mais demorados.

A preocupação também está em possíveis reflexos nas atividades aduaneiras, em que o órgão atua para fins de inspeção e liberação de mercadorias. Apesar da deliberação, o biólogo acredita que o fechamento ainda possa ser revisto.

— O Grupo Pró-Babitonga aprovou uma moção desaprovando essa decisão e dois integrantes do comitê executivo vão tratar dessa questão com a presidência do Ibama, em Brasília, essa semana. A esperança continua e há expectativa de reverter essa ação — afirma Carvalho.

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaJEC conhece nesta sexta seu adversário na Copa do Brasil https://t.co/nevcKhkLFs #LeianoANhá 20 minutosRetweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaJEC/Krona vence o Concórdia e está a um empate do título catarinense https://t.co/eHSjjHnyOC #LeianoANhá 1 horaRetweet
A Notícia
Busca