Conexão econômica: da UFSC para a Anheuser-Busch Imbev - Economia - A Notícia

Versão mobile

Loetz18/11/2017 | 02h00Atualizada em 18/11/2017 | 02h00

Conexão econômica: da UFSC para a Anheuser-Busch Imbev

Michel Doukeris, que será CEO da líder mundial em cervejas a partir de janeiro, se graduou na UFSC em 1995 

Conexão econômica: da UFSC para a Anheuser-Busch Imbev Diogo Zanatta/Especial
Foto: Diogo Zanatta / Especial

A AB Inbev, líder mundial em cervejas, anunciou a troca de comando do seu maior negócio, a Anheuser-Busch InBev nos EUA e Canadá. O novo CEO a partir de janeiro será Michel Doukeris, engenheiro químico graduado pela UFSC em 1995, que fez carreira na companhia  de Jorge Paulo Lemann a partir de 1996. Ele já assumiu vários postos relevantes na empresa e, atualmente, é diretor global de vendas. Sucede João Castro Neves, que preferiu não esperar o posto de CEO mundial da AB InBev, ocupado por Carlos Brito. O desafio  de Doukeris é elevar as vendas da Budweiser, a mais famosa cerveja do mundo, que perde espaço para as artesanais. 

 R$ 94 milhões
Foi o valor movimentado pelo Airbnb em Florianópolis ano passado, adicionado ao PIB do município, segundo estudo da Fundação Instituto de Pesquisas  Econômicas (Fipe) sobre impacto socioeconômico regional da empresa de locação online de imóveis. Esse valor equivale a 3,6 mil novos empregos na cidade.    

Arte contemporânea
Até dia 9 de dezembro, apreciadores de arte contemporânea têm a oportunidade de conhecer e reconhecer 40 artistas das áreas de artes visuais, moda, objetos e gastronomia. A exposição Hic et nunc ("Aqui e  agora", em latim), é  resultado do trabalho de Gabriela Maria Carneiro de Loyola, da Picta Escritório de Arte, em parceria com o El Clandestino, de Sarah Pinnow. A exposição está em dois endereços: no espaço KOK Asian Mood e no Mercure Prinz Hotel, ambos  em Joinville.     

A pesquisa Latitude, financiada pela Associação Brasileira de Arte Contemporânea e pela Apex aponta: o mercado de arte no Brasil representa 1% do total global: US$ 455 milhões de euros ou R$ 1,2 bilhão. 58% das vendas acontecem  em galerias. 85% do total são negócios fechados no mercado interno. São Paulo concentra 50% dos negócios. Santa Catarina representa menos de 1%.     

Ciser amplia
A Fundação de Meio Ambiente do Estado de Santa Catarina (Fatma) aprovou pedido do grupo H. Carlos Schneider (Ciser) e deferiu licença de ampliação  de operação (LAO) na fábrica de Araquari, no Norte catarinense, referente aos galpões 10 e 11, mezanino, central de resíduos, áreas dos sistemas de exaustão, torres de resfriamento, cabines dos transformadores, central de ar comprimido, fornos, corresponde  a uma área total construída de 37 mil m2. A Ciser é líder no mercado da América Latina no segmento de fixadores (porcas e parafusos). 

Acompanhe as publicações de Estela Benetti

Leia também: 

Florianópolis vai sediar Encontro da Indústria da Construção Civil em 2018 

Dados do PIB mostram que SC não é uma ilha

Varejo catarinense cresce impulsionado por agronegócio e indústria



Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaJEC vai encarar time sergipano na primeira fase da Copa do Brasil https://t.co/S5zOllQvDz #LeianoANhá 1 horaRetweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaArena Joinville terminará o ano sem a conclusão das obras https://t.co/biOEYhKA60 #LeianoANhá 1 horaRetweet
A Notícia
Busca