Internet industrial desperta interesse de estudantes e profissionais na 11ª Intermach, que ocorre em Joinville - Economia - A Notícia

Versão mobile

Economia14/09/2017 | 07h00Atualizada em 14/09/2017 | 07h00

Internet industrial desperta interesse de estudantes e profissionais na 11ª Intermach, que ocorre em Joinville

Evento que reúne 150 marcas termina nesta sexta-feira. Equipamentos robóticos têm despertado a atenção de visitantes 

Internet industrial desperta interesse de estudantes e profissionais na 11ª Intermach, que ocorre em Joinville Salmo Duarte/A Notícia
Foto: Salmo Duarte / A Notícia

A busca por conhecimento, novas tecnologias e inovação está em evidência na 11ª Intermach – Feira e Congresso Internacional de Tecnologia, Máquinas, Equipamentos, Automação e Serviços para a Indústria Metalmecânica, que encerra nesta sexta-feira, em Joinville. Soluções ligadas a indústria 4.0 são o foco das 150 marcas expositoras e também demandam maior procura de estudantes e de profissionais do setor que visitam a Expoville.

O destaque é reflexo de um movimento de incentivo à modernização dos sistemas de produção industriais por meio de tecnologias avançadas. Em 20 anos, desde a realização da primeira edição, o tema inovação ganhou espaço no principal evento metalmecânico do Sul do País. Prova disso é a utilização do espaço para o lançamento de máquinas inteligentes e a implantação de uma arena que engloba computadores, robôs e computação, demonstrando as várias faces da robótica.

Um dos exemplos dessa guinada é o lançamento, na Intermach, do robô colaborativo HC10, da companhia japonesa Yaskawa Motoman – uma das maiores empresas de robótica do mundo e dona de mais de 175 modelos de robô. Segundo o gerente regional da empresa, Tibério Gonçalez, a tecnologia consiste em possibilitar que homem e máquina trabalhem em conjunto em uma linha de produção fabril. O custo de um equipamento como este pode chegar a US$ 45 mil e pode ser utilizado em diversos setores da indústria, como farmacêutica, alimentícia ou metalmecânica.

A tecnologia também está presente em operações mais simples, como a etiquetagem de embalagens e produtos, que podem ter ganho de eficiência e qualidade no processo de produção. Um dos exemplos é o Sistema de Marcação, Codificação e Identificação, apresentado por Luciano Knies, diretor comercial da Vertec Soluções em Codificação Industrial, de Joinville. A empresa espera fazer vendas na casa dos R$ 500 mil, originadas a partir de contatos iniciados na feira.

A máquina, de tecnologia inglesa, possibilita com poucos toques (em tela) programá-la e demarcar à laser informações como data de fabricação, validade e lote em embalagens e produtos. O preço do investimento é de cerca de R$ 20 mil.  

Os cerca de 18 mil visitantes que devem passar pela feira até amanhã nos quatro dias de evento têm acesso ainda a inovações como câmeras de visão e soluções de verificação e inspeção de linhas de produção. Há ainda leitores de códigos de barra, que podem fazer apontamento de estoque automático e sensores de segurança, capazes de desativar automaticamente o funcionamento de equipamentos que ofereçam riscos em caso de aproximação.


Arena de Robótica é uma atrações das mais procuradas

 JOINVILLE,SC,BRASIL,13-09-2017.Intermarch 2017.(Foto:Salmo Duarte/A Notícia)
Foto: Salmo Duarte / A Notícia

Um dos pontos altos da Intermach 2017, a Arena de Robótica apresenta demonstrações práticas da utilidade dos robôs na otimização dos processos industriais. Com braços mecânicos e até simulação de linhas de produção feitas em Lego estão entre os atrativos que estão chamando a atenção dos visitantes. Em uma das fases do circuito, apresentada pela Robo Mind, especializada em robótica para o ensino fundamental e médio, são apresentadas cinco aplicações de robótica criadas por crianças e adolescentes, de sete a 18 anos, todos alunos da instituição.

Em uma das soluções em Lego, desenvolvida por estudante de 11 anos, um braço robótico com garras é capaz de pegar objetos como balas e garrafas de água. Outro invento é chamado de “elefante”, no formato do animal, em que é possível programá-lo para movimentar a tromba ou andar. Um terceiro equipamento simula uma linha de produção e possibilita a seleção e separação de objetos por cor. Segundo André Boldt, diretor do Robo Mind, o intuito da empresa na feira é mostrar que ‘tecnologia não tem idade’ e pode ser trabalhada desde os três anos de idade. A robótica educacional também é abordada pela Univille e pelo Senai, que apresentaram soluções trabalhadas em aulas. 


Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaRejane: Mostra de arquitetura será realizada em casa antiga da rua Aquidaban, em Joinville  https://t.co/AugrJt6WY1 #LeianoANhá 2 horas Retweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaVoluntárias de Joinville produzem bonecos carecas para crianças com câncer https://t.co/OeHlTUivkR #LeianoANhá 2 horas Retweet
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros