Loetz: construção de novo hospital em Joinville depende apenas de licenciamento ambiental - Economia - A Notícia

Versão mobile

Livre Mercado23/06/2017 | 06h00Atualizada em 23/06/2017 | 06h00

Loetz: construção de novo hospital em Joinville depende apenas de licenciamento ambiental

Projeto da Agemed prevê geração de dois mil empregos diretos e indiretos

O projeto do Hospital Monte Hermon, a ser construído pela Agemed no bairro Boa Vista, em Joinville, está na fase de licenciamento ambiental. O empreendimento vai receber investimentos de aproximadamente R$ 120 milhões e gerar mais de dois mil empregos diretos e indiretos.

Leia mais colunas de Claudio Loetz

Com 21 mil metros quadrados de área construída, o hospital terá 210 leitos (60 deles de UTI), pronto-atendimento adulto e pediátrico e oito salas de cirurgia – uma delas preparada para cirurgia robótica. 

Desenvolvido por escritórios de arquitetura especializados na área – um catarinense e outros espanhol –, o empreendimento foi planejado para ter as certificações hospitalares internacionais de qualidade – Joint Comission – e de sustentabilidade –Leadership In Energy and Environmental (Leed).

No exterior 

Grande parte – 41% – se destina à expansão no exterior, com destaque para países da América Latina, o que indica maior internacionalização dos negócios. Significativos 37% serão aplicados em outros Estados, principalmente em São Paulo, Rio Grande do Sul e no Paraná. Os dados integram a publicação Investimento e Competitividade, realizado pela Fiesc, com o apoio do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE). O levantamento mostra que as principais estratégias adotadas pelas empresas para elevar a competitividade foram o enxugamento de custos (82%), a qualificação de pessoal (61%), o lançamento de novos produtos (60%) e novas tecnologias (58%), além da busca de novos mercados (51%).

Recursos próprios

Apesar de 75% das empresas conhecerem os incentivos governamentais, 46% não os utilizam. A maior parte delas (80%) usará recursos próprios para investir, 40% usarão bancos comerciais ou cooperativas de crédito e 35%, bancos de fomento.

Incertezas e menos custos

Entre os fatores que podem colocar os investimentos em risco estão a incerteza econômica, citada por 88% das empresas respondentes da pesquisa, a burocracia, o aumento inesperado do custo previsto ou ainda a ociosidade elevada. No enfrentamento da concorrência, as empresas optaram por enxugar custos e qualificar a força de trabalho. Por sinal, a qualificação dos trabalhadores é vista como uma das principais vantagens.

Pagando dívidas

O advogado Gustavo Pacher fará palestra sobre o Programa Especial de Regularização Tributária (Pert) no dia 26, na Associação Empresarial de Jaraguá do Sul (Acijs). O Pert permite aos contribuintes liquidar dívidas feitas até 30 de abril contraídas junto à Receita Federal e à Procuradoria-geral da Fazenda Nacional.

Faturamento maior

O Dia dos Namorados animou os empresários em Joinville. A cidade registrou a maior alta no faturamento (33,8%) na comparação com os meses comuns, de acordo com a pesquisa de resultado de vendas realizada pela Fecomércio. Os estabelecimentos registraram tíquete médio de R$ 156,99, acima do estadual (R$ 149,80), mas inferior ao do ano passado (R$ 181,51). A pesquisa da Fecomércio SC foi realizada com 389 empresas em sete cidades: Joinville, Lages, Chapecó, Blumenau, Itajaí, Criciúma e Florianópolis.

 
 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaVitória contra o São Bento colocará o JEC no G-4 após 11 rodadas https://t.co/xFTYU8zpyJ #LeianoANhá 5 horas Retweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaGrávida de 37 semanas é morta a facadas em Palhoça https://t.co/R5h4Bwu7GT #LeianoANhá 6 horas Retweet
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros