Saiba quais foram as lições deixadas pela 15ª Expogestão em Joinville  - Economia - A Notícia

Versão mobile

Fórmula do sucesso13/05/2017 | 08h31Atualizada em 13/05/2017 | 09h23

Saiba quais foram as lições deixadas pela 15ª Expogestão em Joinville 

Omar Ghanem Filho e Alonso Torres avaliam os resultados do evento que ocorreu no complexo da Expoville nesta semana

Saiba quais foram as lições deixadas pela 15ª Expogestão em Joinville  Maykon Lammerhirt / Agência RBS/Agência RBS
Auditório sempre cheio nas palestras mostrou acerto nas escolhas Foto: Maykon Lammerhirt / Agência RBS / Agência RBS

– Vivenciamos e deixamos lições de inspiração, inovação e evolução que abrem um olhar para o novo e a construir um futuro mais positivo para as pessoas e as organizações.

Essa é a reflexão de Omar Ghanem Filho sobre os resultados da 15ª Expogestão, evento que terminou na quinta-feira, em Joinville, e é considerado um dos maiores encontros empresariais do País, reunindo mais de seis mil pessoas no complexo da Expoville durante três dias.

Segundo Omar, que liderou a comissão organizadora deste ano, a Expogestão 2017 atingiu o seu propósito ao apresentar palestras e conteúdos distintos, mas que convergiram em torno de três grandes temas: pessoas, economia e inovações tecnológicas.

– Mesmo com temáticas distintas, de alguma forma, todas as 15 palestras e eventos paralelos conversaram com alguma dessas áreas de interesse. Acredito que esses foram os grandes insights deste ano – considera.

A opinião de Omar é endossada por Alonso Torres, presidente da Ópera Eventos, realizadora da Expogestão. Para Alonso, a organização conseguiu entregar o que prometeu em termos de evento e conteúdo.

– Não costumo medir resultados sem ter acesso à pesquisa de feedbacks, que deve sair em duas semanas, mas a devolutiva que tivemos, no momento, é de que o resultado foi excelente, tanto em conteúdos, quanto na conexão deles – diz.

Neste ano, o congresso principal do evento contou com 15 palestras – quatro delas internacionais – que tiveram como objetivo evidenciar as novas tendências econômicas, de inovação e de gestão para o ambiente corporativo por meio de temáticas como ciência da felicidade, inspiração empreendedora, talento e competitividade, além de novos modelos de negócios.

O congresso foi acompanhado por 2,6 mil pessoas.Outros 2,1 mil visitantes participaram gratuitamente de 40 workshops. Os encontros foram ministrados por patrocinadores, apoiadores, expositores e convidados da Expogestão.

Seminários paralelos e uma feira de serviços e negócios com mais de 30 entidades também estavam entre os atrativos. O evento registrou a participação de visitantes de 202 municípios brasileiros. Para Alonso Torres, o número surpreende e demonstra a proporção que o evento conquistou.

– O número surpreendeu, uma vez que no ano passado foram cem municípios participantes. Registramos em torno de 220 participantes fora do Estado. Isso mostra a capilaridade e o alcance, o que é muito saudável para um evento que se propõe a transmitir conhecimento – expõe.


Leia as últimas notícias sobre Joinville e região no AN.com.br


Um aprendizado que se estende para diferentes áreas

Garibaldi aprovou os debates ocorridos durante o evento Foto: Maykon Lammerhirt / Agencia RBS

Um dos participantes da Expogestão que diz ter agregado conhecimento é o diretor financeiro da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc), Garibaldi Ayroso, que trouxe para o evento quatro de seus funcionários. Pela terceira vez na Expogestão, ele afirma que, apesar de ter foco no mundo empresarial, o aprendizado é válido para outros setores.

– Esse ambiente leva vida para dentro das organizações. Buscamos novas experiências, trocar ideias e reaquecer nossa cultura para levarmos isso para o trabalho. Apesar de ser um evento focado na área industrial, tem muita coisa que a área pública pode utilizar, implantar e discutir – comenta.

A empresária Eloisa Boehm entende que o evento reflete bem seu significado.– Acredito que gestão define o evento. Sem gestão, de recursos, financeira, de vendas, equipe, planejamento ou execução, a empresa não prospera – relata.Entre os termos descritos pelos congressistas, um deles é startup. A palavra foi escolhida para resumir a Expogestão deste ano pelo empresário Márcio Muxfeldt, vencedor do Prêmio Empresário Destaque em Tecnologia de 2016, entregue pela Associação Polo Tecnológico do Oeste Catarinense (Deatec).

– Escolho essa palavra porque muito se falou sobre as novas formas que as empresas estão encontrando para se destacar e elas, organizações inovadoras, não têm outra preocupação além de dar certo – explica.

A importância das startups foi listada por Omar Ghanem Filho como uma das lições que ele considera terem sido deixadas pelos palestrantes da Expogestão neste ano, por meio da aproximação de empresários já consolidados com as novas lideranças e modelos de negócios.

Ele destaca ainda a disseminação de mensagens claras para diferentes perfis de pessoas buscando melhor entendimento de todos.Valores como persistência e talento, além do reconhecimento das pessoas dentro das organizações também foram citados. As lições, segundo Omar, foram deixadas um pouco por cada um dos palestrantes desse ano.

– O evento trouxe grandes nomes e temas. Isso nos faz buscar e encarar oportunidades efetivas para que a gente não pare de ousar, de pensar, de planejar e de buscar correr riscos, porém calculados – aponta o empresário.

 
 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaTrecho da rua Dona Francisca em Joinville tem interdição total para obras até sexta-feira https://t.co/8W76WRRtwU #LeianoANhá 55 minutosRetweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaOperação combate o contrabando de cigarros em Santa Catarina https://t.co/fcZbcoaMTY #LeianoANhá 4 horas Retweet
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros