Loetz: "Em 2018, a economia poderá surpreender", diz Ricardo Amorim - Economia - A Notícia

Versão mobile

Livre Mercado11/05/2017 | 06h02Atualizada em 12/05/2017 | 08h44

Loetz: "Em 2018, a economia poderá surpreender", diz Ricardo Amorim

Um dos participantes de seminário na Expogestão, o apresentador mostrou uma visão otimista sobre as perspectivas de futuro do Brasil

O seminário Finanças, economia e negócios reuniu o economista Ricardo Amorim; o presidente da Condor, Alexandre Wiggers; o empresário Jorge Steffens, da Ória Capital e o vice-presidente da H.I. G. Capital, Marcelo Cecchetto, em debate que lotou sala de 120 lugares. O evento, somente para convidados, constava da programação da Expogestão. Ricardo Amorim, mais uma vez, mostrou-se otimista com as perspectivas de futuro do Brasil.

— Estamos num momento de ponto de inflexão, e, em 2018, a economia poderá surpreender.

Os bancos vão correr atrás de clientes para emprestar dinheiro, se as reformas da Previdência e tributária forem aprovadas.Diz mais: os próximos três a cinco anos vão ser bem mais parecidos com o período 2004-2008, do que os últimos quatro anos. Estamos na parte do ciclo econômico na qual surgem oportunidades.Ainda segundo Amorim, os investidores estrangeiros, em especial os chineses, estão com grande apetite por negócios em infraestrutura pelo Brasil. 


Ele avalia que quatro países emergentes despontam como principais receptores de recursos externos: Brasil, China, Indonésia e Índia. Todos eles oferecem tamanho gigante de mercado e potencial de crescimento. Por isso, de cada quatro dólares, três são aplicados em países emergentes.No front interno, um olhar para dados do IBGE demonstram que a expansão brasileira se dá no interior do País, e mais ancorada no agronegócio.

 Mesmo assim, regiões industrializadas estão em posição favorável. Franca, no interior paulista, terra do calçado, é a campeã em criação de postos de trabalho no primeiro trimestre deste ano. Isso acontece porque o custo de produção na China já subiu muito e Franca ficou, novamente, competitiva.Joinville surge no sétimo lugar, seguida de Caxias do Sul, na oitava colocação.

A lembrar, são dois municípios centrados na indústria metalmecânica.Em relação às eleições de 2018, o jogo está completamente aberto. Amorim argumenta que as figuras tradicionais da política nacional têm poucas chances de ganhar. Por ora, dois nomes aparecem querendo ser o Trump brasileiro: Jair Bolsonaro e Roberto Justus. No entanto, o atual ministro Henrique Meirelles pode emergir como candidato com chances, no caso do PIB crescer, e o nível de emprego aumentar novamente. No meio, há João Dória ou Geraldo Alckmin.

Leia as últimas notícias de Joinville e região.
Leia outras notícias de Claudio Loetz.

Nova realidade
Jorge Steffens, do fundo de tecnologia Ória Capital, abordou um fator crítico para a economia deslanchar: a produtividade do trabalhador brasileiro não aumentou. Então, inovação e melhor gestão podem melhorar essa realidade. Noutro momento de suas intervenções, o empresário apresentou uma reflexão curiosa com nova realidade que está por aí: o advento da economia compartilhada vai reduzir as vendas de carros e de casas, por causa do Uber e outros aplicativos, e do Airbnb. Exemplifica: os espaços para estacionamentos de veículos, em São Paulo, passam por dificuldades. A utilização intensiva do Uber afastou os motoristas dos espaços pagos.

Aquisições
Alexandre Wiggers, da Condor, de São Bento do Sul, afirmou que a empresa que consegue unir solidez financeira e adequada estratégia de negócios voltada ao futuro deve pensar em comprar concorrentes menores e ganhar em participação de mercado. O momento é de abrir a companhia para novas informações e tecnologias.

Inglês essencial
Marcelo Cechetto, da H.I. G. Capital, tocou num ponto-chave que inibe a produtividade na indústria. Só 3% da população brasileira falam inglês fluentemente. E isso acontece justamente quando as tecnologias e os modelos gerenciais caminham para serem, todos, em linguagem e formatos de língua inglesa.

Aceleração
A Agrolytica, instalada no Inovaparq, que usa alta tecnologia para monitorar qualidade do solo, de lavouras e de gado, foi uma das empresas selecionadas para participar do programa InovAtiva, de aceleração para negócios inovadores do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Sebrae.

Diretor
Flamarion Lucas é o novo diretor financeiro-administrativo da Agemed. O profissional teve passagens por outras operadoras de saúde e por hospitais. O processo foi conduzido pela TrendRH Executive Consulting.

Em primeira mão 

Foto: Maykon Lammerhirt / Agencia RBS

Joinville é a primeira cidade a receber a equipe do Estúdio de Projetos Especiais & Brands, novo projeto da RBS SC voltado à produção de conteúdo para marcas – o chamado branded content. Profissionais multimídia estão produzindo nesta semana material sobre a Expogestão, evento escolhido para o lançamento oficial do projeto, realizado ontem. O Estúdio PE&B já começa os trabalhos com outros clientes de peso, como a Federação Catarinense de Basquetebol.

Seleção
O escritório do Grupo Meta, de Jaraguá do Sul, está selecionando os primeiros 80 funcionários da unidade da rede de supermercados Giassi, em Jaraguá do Sul, a ser inaugurado no começo do segundo semestre. Nesta etapa, serão preenchidas vagas para os setores de açougue, padaria, confeitaria e cozinha. No total, o Giassi deverá empregar aproximadamente 300 pessoas.


 
 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaLoetz: Audiência pública para discutir novo porto de São Francisco do Sul será no fim de agosto  https://t.co/mCHwiqb6mI #LeianoANhá 1 horaRetweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaJogo-treino entre reservas e time sub-20 marca o início da semana do JEC https://t.co/w4tcsebxAs #LeianoANhá 10 horas Retweet
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros