Até 2020, 50 bilhões de 'coisas' serão conectadas pela internet - Economia - A Notícia

Versão mobile

Futuro da indústria25/05/2017 | 11h36Atualizada em 25/05/2017 | 11h36

Até 2020, 50 bilhões de 'coisas' serão conectadas pela internet

O Brasil ainda precisa evoluir para acompanhar as transformações na indústria 4.0 e conectar máquinas, sistemas, objetos e pessoas

Até 2020, 50 bilhões de 'coisas' serão conectadas pela internet Andre Kopch/Divulgação
As transformações obtidas, principalmente pela indústria, devem causar impactos econômicos e sociais. Foto: Andre Kopch / Divulgação

O avanço das novas tecnologias digitais desenha um caminho sem volta para o futuro. As transformações obtidas, principalmente pela indústria, devem causar grandes impactos econômicos e sociais em um curto espaço de tempo, conforme projeções da Cisco Systems. Líder mundial em Tecnologia da Informação (TI), a empresa estima que até 2020 cerca de 50 bilhões de coisas, entre máquinas, sistemas, objetos e pessoas, serão conectadas por meio da internet.

Essa perspectiva, se confirmada, promete aumentar os lucros gerados pela iniciativa privada em 21% e injetar US$ 19 trilhões à economia global dentro de três anos. Tudo graças a convergência entre indústria 4.0, internet das coisas e os sistemas cyber-físicos. A aceleração da internet industrial vem ganhando força rapidamente, diz Richard Soley, especialista em internet industrial que palestrou sobre o tema na Expogestão deste ano, em Joinville.

Como a indústria de Joinville se prepara para o futuro em meio à crise

Conheça as indústrias que se instalaram em Joinville desde 1881

Conforme Soley, hoje já é possível desenvolver tecnologias potentes com sensores e dispositivos de baixo custo, aliados ao armazenamento e análise de dados em nuvem. Para ele, essas tecnologias, quando aliadas a rede, possibilitam minimizar falhas nos processos produtivos, reduzir o desperdício de recursos naturais e gerar melhorias em variados setores.

Richard Soley destaca que o novo modelo deve injetar US$ 19 trilhões à economia global dentro de três anos. Foto: Salmo Duarte / Agencia RBS

Entre os exemplos dos potenciais impactos dessas inovações estão a redução de mortes no trânsito com o aperfeiçoamento dos carros conectados, que já existem, e a busca de soluções para reduzir problemas e custos de manutenção de motores a jato. O histórico de um paciente, armazenado em nuvem, também possibilita maior agilidade no tratamento médico.

Mudança no perfil do trabalhador pode ser benéfica para o mercado de emprego, diz economista

Em termos de inovação, o Brasil ainda precisa melhorar para acompanhar o ritmo das transformações que ocorrem mundo afora. A percepção é de Gilberto Peralta, CEO da General Electric (GE) no País, gigante mundial e uma das que mais investe em inovação no mundo. Segundo ele, entre 2007 e 2015 o País chegou a cair 22 posições no ranking mundial de inovação, prejudicando avanços importantes.

– Você só pereniza o seu negócio se você investir nele. Essa é uma decisão difícil pra quem é pequeno por que tem que decidir entre ¿tomar café da manhã ou jantar¿, mas você tem que olhar para aquilo que dá uma visão de futuro para o negócio. O Brasil conta com capital humano importante. A região (de Joinville) é um exemplo disso, a base industrial aqui é um negócio que impressiona, mas nós temos que fazer muito mais para não perder esse caminho da inovação – destaca.

Para vice-presidente da Fiesc, setor industrial passa por uma profunda transformação

Saiba o que é indústria 4.0

Investir em tendências é o caminho

A área de tecnologia da informação também é apontada como um dos setores mais competitivos da economia no futuro, em território catarinense. É o que indica o Programa de Desenvolvimento Industrial Catarinense (PDIC) 2022, que elenca TIC, meio ambiente, energia e os setores metal-mecânico e metalúrgico como os que apresentam maior potencial a longo prazo na região.

Na visão de Richard Soley, se o Brasil investir nas novas tendências do futuro, poderá acompanhar os resultados alcançados em países com maiores investimentos em inovação e tecnologia. Ele destaca que a tecnologia que dá origem a indústria 4.0 já existe há pelo menos 20 anos, mas recém começou a ser adotada devido a convergência que tornou-se possível.

– Isso está acontecendo ao mesmo tempo em todos os lugares do mundo e tecnologia não respeita fronteiras. Tudo que foi feito em qualquer lugar do mundo pode ser feito no Brasil. Não acho que esteja atrás, talvez a visibilidade não seja tão alta como a Alemanha, Estados Unidos, França ou Índia. Há uma grande oportunidade de pegar toda essa tecnologia e desenvolvê-las. A questão é: o que fazer primeiro? Tentar alguma coisa – avalia.

Região de Joinville tem 19% das empresas de tecnologia de SC 

Empresas de Joinville apostam em tenologias inteligentes na produção

Whirlpool e Embraco de Joinville apostam na inovação como diferencial

Especialistas apontam que um dos obstáculos para a implementação de tecnologias conectadas à rede se deve a garantia de segurança dos dados. Esse é um dos escopos de trabalho da Associação Brasileira de Internet Industrial (Abii), que deve reunir seus parceiros nos dias 3 e 4 de julho, em Curitiba (PR). 

O encontro irá debater ações para fortalecer a segurança de rede e garantir que essa comunicação entre os sistemas seja feito sem riscos. Grupos de trabalho também buscam o desenvolvimento de experimentos práticos e o fomento da educação e recursos humanos em prol das mudanças.

– Estamos diante de uma revolução que promete transformar ainda mais as nossas vidas, quando vamos unir as máquinas que o homem vem desenvolvendo desde o século XVIII com a internet. Nós vamos passar a dar mais inteligência e comunicação a essas máquinas e é importante estarmos a par disso por que o mundo vai mudar tão drasticamente que vai ser até difícil reconhecer a situação que a gente tem hoje, em um período curto de 10 a 20 anos – acena José Rizzo, presidente da Abii.




 
 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaExplosão em condomínio deixa quatro pessoas gravemente feridas em Joinville https://t.co/Chvrk3vr6L #LeianoANhá 7 horas Retweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaDiogo Vargas: chocante e horrenda a descoberta da rede de pedófilos https://t.co/zpF86byIRL #LeianoANhá 10 horas Retweet
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros