Araquari projeta orçamento quase 22% maior em 2017 - Economia - A Notícia

Versão mobile

planejamento29/11/2016 | 07h31

Araquari projeta orçamento quase 22% maior em 2017

Boom de instalação de empresas nos últimos anos começa a dar resultado nas contas públicas

Araquari projeta orçamento quase 22% maior em 2017 Assessoria de comunicação de Araquari/Divulgação
Em 2017, Araquari começa a receber o repasse de ICMS da operação da BMW Foto: Assessoria de comunicação de Araquari / Divulgação

Em meio à crise econômica, Araquari se destaca entre os municípios da região Norte do Estado na hora de prever o orçamento de 2017. A proposta encaminhada pelo prefeito João Pedro Woitexem à Câmara de Vereadores é de R$ 128 milhões, valor quase 22% superior ao orçamento de 2016.

O principal motivo para elevar a estimativa de receita e despesa foi o aumento de 23,3% no repasse estadual de ICMS, o tributo que reflete a atividade econômica. A cidade se orgulha de ter o maior crescimento no retorno de ICMS no Estado pelo quarto ano consecutivo.

:: Leia mais sobre Joinville e região em AN.com.br

O prefeito cita empresas que se instalaram na cidade nos últimos anos como o principal fator para o bom resultado nas contas públicas. Araquari chega ao final de 2016 sem déficit. No ano passado, a dívida era de R$ 1,5 milhão. 

— Não tem dinheiro sobrando, mas vamos fechar as contas — diz o prefeito.

Nos últimos anos, a cidade recebeu indústrias como a Fortlev (produtos plásticos), Isoterm (embalagens), Jefer (siderurgia), Hyosung (fios e linhas), Durin (acessórios e conexões em plástico) e a Ciser, empresa de fixadores de Joinville, além de outras centenas de empresas de setores diversificados.

A partir de 2017, a cidade começa a receber, também, o repasse de ICMS da fábrica da BMW, o que faz o Executivo estimar um ano melhor ainda para os cofres da Prefeitura.

O ritmo de empresas interessadas em se instalar no município reduziu por conta do cenário econômico, mas não estagnou. De acordo com o prefeito, quatro grandes empreendimentos multinacionais estão sondando o governo municipal.

Outros municípios da região vislumbram um 2017 bem mais modesto. São Francisco do Sul, por exemplo, terá uma redução de 17,4% no orçamento do ano que vem, impactado pela queda de cerca de 40% na arrecadação nos royalties do petróleo. Em Itapoá, o chefe da contabilidade, João Garcia de Souza, diz que a queda no preço do barril do petróleo fez a cidade receber metade do valor de royalties neste ano, na comparação com 2014.

Com exceção de Araquari, é difícil encontrar cidades que não reclamem da diminuição no repasse de ICMS em virtude da fraca atividade econômica das empresas. Para lidar com a situação, em Jaraguá do Sul, o secretário de Administração e Fazenda, Ademar Possamai, conta que a Prefeitura implantou a nota fiscal eletrônica, elevando a arrecadação de ISS.

- Fizemos vários ajustes de estrutura, de pessoal, suspendemos contratações, cortamos cargos comissionados, contabilizamos uma eficiência de gestão de R$ 15 milhões, ainda assim, a queda de receita foi superior aos ajustes - diz o secretário.

Em Joinville, o orçamento de 2017 será 1,15% maior do que em 2016. O projeto em tramitação na Câmara de Vereadores prevê que a maior fatia do orçamento deve ser destinada à saúde, um montante de R$ 684 milhões (25,1% do valor total). A Lei Orçamentária Anual (LOA) destina à educação R$ 549 milhões (20,14% do valor total) e ao urbanismo R$ 390 milhões (14,3%).

Em São Bento do Sul, o orçamento será 12% maior no próximo ano, mas, em boa medida, por conta de créditos e do repasse de quase R$ 11 milhões a que o município tinha direito do parcelamento de ICMS do fundo social. Não é fruto de aumento nos recursos próprios.

— São Bento do Sul é uma cidade industrial e teve movimento econômico menor, portanto, estamos prevendo arrecadação menor também. Para 2017, não estamos esperando mudanças na economia. Nessa época, o Sine estava contratando muita gente para o comercio e indústria, agora está parado — afirma a secretária de Finanças, Auriene Roepke.

Confira a proposta orçamentária de alguns municípios

ARAQUARI
Orçamento 2017: R$ 128 milhões
Orçamento 2016: R$ 105 milhões
Variação: aumento de 21,9%
Status: em tramitação na Câmara de Vereadores

JARAGUÁ DO SUL

Orçamento 2017: R$ 697 milhões
Orçamento 2016: R$ 706 milhões
Variação: queda de 1,27%
Status: em tramitação na Câmara de Vereadores

JOINVILLE
Orçamento 2017: R$ 2,72 bilhões
Orçamento 2016: R$ 2,69 bilhões
Variação: aumento de 1,15%
Status: em tramitação na Câmara de Vereadores

SÃO BENTO DO SUL
Orçamento 2017: 358,95 milhões
Orçamento 2016: 320,38 milhões
Variação: aumento de 12%
Status:  aprovado

SÃO FRANCISCO DO SUL
Orçamento 2017: R$ 249,17 milhões
Orçamento 2016: R$ 301,96 milhões
Variação: queda de 17,48%
Status: em tramitação na Câmara de Vereadores

A NOTÍCIA

 
 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaPrimeiro relatório da temporada aponta 44 pontos impróprios para banho em SC https://t.co/mWmj1CVZKehá 2 horas Retweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaCorpo é encontrado às margens da BR-101, em Joinville https://t.co/iT10L1DbWkhá 2 horas Retweet
  •  
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros