Empresário de Jaraguá do Sul cria sistema de automação residencial até 10 vezes mais barato - Negócios e Cia - A Notícia

Vers?o mobile

 
 

Segurança à distância19/09/2014 | 20h49

Empresário de Jaraguá do Sul cria sistema de automação residencial até 10 vezes mais barato

Em fase de protótipo, solução desenvolvida por Andrews Roberto da Silva deve chegar ao mercado no final de 2015

Empresário de Jaraguá do Sul cria sistema de automação residencial até 10 vezes mais barato 1/Agencia RBS
Silva espera expandir o negócio com a ajuda de uma incubadora Foto: 1 / Agencia RBS

Andrews Roberto da Silva é um daqueles sujeitos que se depara com um problema, inventa a solução e a transforma em negócio. Morador de Jaraguá do Sul, ele ficava preocupado com a segurança de sua casa nos períodos de ausência. Aluno de um curso de informática, não demorou para desenvolver o sistema de automação residencial para controlar os principais comandos, como abrir portas e janelas, acender a luz e ligar os equipamentos eletrônicos. Tudo pelo celular.

Em fase de protótipo, o projeto deve chegar ao mercado no final de 2015. Os amigos que o ajudaram com a compra de equipamentos e com o conhecimento em eletrônica e programação podem se tornar futuros sócios se o negócio vingar. Outro grande empurrão vem da forma como ele atua.

Aos 27 anos, Andrews é proprietário da Uptime Tecnologia, uma das empresas que operam no Centro de Inovação e Pesquisas Tecnológicas-Jaraguatec, incubadora localizada no campus da Católica de SC. O local fornece orientação e infraestrutura para novos negócios inovadores com baixo custo. Lá,  Andrews já desenvolveu e colocou no mercado um servidor de controle de acesso à internet para empresas, e agora aposta no desenvolvimento de um sistema de automação residencial que promete ser mais simples e barato que o de seus concorrentes.

O empreendedor diz que as soluções atuais custam em torno de R$ 100 mil e não são compatíveis com todos os itens residenciais disponíveis, o que acaba obrigando o proprietário a comprar soluções completas com o fornecedor. O sistema dele, porém, requer que o proprietário do imóvel tenha apenas celular com serviço de internet 3G e GPS. Dentro de casa,  basta ter banda larga, sensores de movimento nos cômodos e adquirir a placa eletrônica desenvolvida por ele, do tamanho de um cartão de crédito.

Para quem ainda vai construir o imóvel,  a opção que utiliza conexões por fios é a ideal porque custa metade do preço da solução sem fio – e os trabalhadores já estão mexendo na fiação. Se a casa está pronta, a opção sem fio dá menos trabalho. Hoje, Andrews estima que o sistema com fio custará em torno de R$ 10 mil – ou seja, um décimo do valor dos principais concorrentes.

Na incubadora, a torcida é para que o negócio dê certo. A Jaraguatec sobrevive com orçamento de R$ 70 mil, proveniente de convênio com a Prefeitura.  A geração de receita e de conhecimento para o município  é a contrapartida esperada em ambientes como este que estimulam a inovação.

A NOTÍCIA

 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaCOLETIVO POÉTICO REALIZA 5ª EDIÇÃO DO SLAM J.O https://t.co/m4XiDMnKqAhá 27 minutosRetweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaGente que precisa de você   https://t.co/vCpNgAa1Ivhá 27 minutosRetweet
A Notícia
Busca