O propósito de Mark Zuckerberg, criador do Facebook, e das marcas - Cultura e Variedades - A Notícia

Versão mobile

Crônica13/06/2017 | 08h00Atualizada em 13/06/2017 | 08h00

O propósito de Mark Zuckerberg, criador do Facebook, e das marcas

Simone Gehrke fala sobre a importância de se estabelecer propósitos em qualquer atividade

O propósito de Mark Zuckerberg, criador do Facebook, e das marcas CHICO MAURENTE,DIVULGAÇÃO/CHICO MAURENTE,DIVULGAÇÃO
Simone Gehrke é jornalista (simoneg@edmlogos.com.br) Foto: CHICO MAURENTE,DIVULGAÇÃO / CHICO MAURENTE,DIVULGAÇÃO

Recentemente, quando recebeu o diploma honorário de Harvard — 14 anos após ter deixado o curso de programação na instituição —, o presidente do Facebook, Mark Zuckerberg, fez um discurso emocionado para a turma de formandos de 2017. "O desafio da nossa geração é criar um mundo onde todos tenham um senso de propósito. (...) O propósito é aquele sentido de que fazemos parte de algo superior a nós mesmos, que temos algo melhor no futuro pelo qual devemos trabalhar. O propósito é o que cria a verdadeira felicidade."

Mark revelou que sua esperança, ao idealizar a maior rede social do mundo, não era criar uma empresa, mas um impacto (hoje avaliado em US$ 60 bilhões). "Lembro-me da noite em que lancei o Facebook, em meu pequeno dormitório em Kirkland House. Lembro-me de ter dito ao meu amigo que estava entusiasmado para conectar a comunidade de Harvard, mas que algum dia alguém conectaria o mundo inteiro. Acontece que nunca pensei que esse alguém poderia ser nós".

O discurso de Mark, centrado no significado daquilo que fazemos e produzimos como legado, me fez lembrar dois outros inputs convergentes. Um deles aconteceu durante a Sessão Ciência da Felicidade, no encerramento da Expogestão 2017. João Paulo Pacífico, presidente do Grupo Gaia, destacou a importância de quebrar a sequência "trabalhar para ter sucesso para ser feliz" e mostrou como um propósito ajuda a conectar as pessoas na sua organização, especialmente a geração Y.

Leia as últimas notícias de Joinville e região.

"Devemos ser felizes para trabalharmos felizes, e o sucesso virá naturalmente", disse Pacífico. Na ONG Gaia +, voltada para a educação, foram impactadas mais de duas mil crianças e treinados 130 professores de quatro Estados. Ações como esta têm despertado o desejo de fazer parte da companhia. Numa seleção de profissionais na qual dispunha de 12 vagas, o Grupo Gaia recebeu currículos de 31 mil candidatos.

O outro input veio do livro "Good is the New Cool" ("Fazer o Bem é a Nova Tendência", em tradução livre) dos especialistas em marketing Afdhel Aziz e Bobby Jones. Os autores defendem que o marketing tradicional, baseado apenas em publicidade, está em crise e que a as empresas devem utilizar a força de suas marcas para mobilizar as pessoas em prol de boas causas. Ou seja, de propósitos.

 
 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaLoetz: IPTU progressivo já tem áreas delimitadas em Joinville https://t.co/RlPlo2r79E #LeianoANhá 8 horas Retweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaVitória contra o Volta Redonda neste sábado coloca o JEC no G4 da Série C https://t.co/1LmzZAVitV #LeianoANhá 18 horas Retweet

Veja também

A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros