Centro Municipal de Cultura fica sem água por mais de 10 dias e prejudica aulas no Atelier Livre  - Cultura e Variedades - A Notícia

Versão mobile

Fim do poço30/06/2017 | 18h05Atualizada em 30/06/2017 | 18h05

Centro Municipal de Cultura fica sem água por mais de 10 dias e prejudica aulas no Atelier Livre 

Professores e alunos da escola de arte tiveram de buscar baldes de água no pátio da instituição

A situação precária do Centro Municipal de Cultura, Arte e Lazer Lupicínio Rodrigues (CMC) atingiu um novo ponto crítico. Várias salas do edifício que abriga o Atelier Livre, a Sala Álvaro Moreyra, o Teatro Renascença e diversos braços da Secretaria da Cultura de Porto Alegre ficaram sem água por mais de 10 dias. 

Centro Municipal de Cultura, na Avenida Erico Verissimo Foto: Fernando Gomes / Agencia RBS

A falta de água afetou a Sala Álvaro Moreyra, o bar e praticamente todas as salas da escola de arte Atelier Livre Xico Stockinger – exceto a de litogravura e a cozinha. Centenas de alunos frequentam o local e foram afetados, já que as aulas de serigrafia, cerâmica, escultura, pintura e outras artes precisam de água. Além disso, apenas um dos quatro banheiros estava funcionando. Alguns professores foram obrigados a buscar baldes de água na rua para poder darem aulas. 

Uma das alunas da instituição, a artista Graça Craidy, denunciou a situação nesta sexta-feira, publicando um texto no Facebook que havia sido compartilhado 183 vezes até o final da tarde do mesmo dia. Segundo ela, algumas salas não tinham água há mais de um mês.

– Eu faço aquarela lá nas terças e temos que ir no pátio pegar água – reclama Graça Craidy.

Leia mais:
Atelier Livre sofre com infraestrutura sucateada e falta de professores e de equipamentos
Outras notícias de artes visuais  

No final da tarde de sexta-feira, o problema foi resolvido. No entanto o engenheiro chefe da equipe de administração dos prédios culturais, Wolney Carvalho Prado, afirma que outras situações de falta de água devem voltar a acontecer.

– Temos um problema no sistema de distribuição que é bastante crítico, os registros estão esclerosados. Pelo menos uma vez por mês tem falha de abastecimento ali e demora para voltar. Eu tinha intenção de pedir a interdição do prédio, mas não adianta se não tiver investimento – explica Prado.

_ É um problema estrutural bem recorrente, mas continuamos na ativa – diz Andrea Falkenberg, diretora do Centro Municipal de Cultura, Arte e Lazer Lupicínio Rodrigues (CMC).

Segundo Prado, o edifício precisaria de um investimento na faixa dos R$ 2 milhões para que fossem sanados seus problemas elétricos e hidráulicos.

Em atividade há 56 anos, o Atelier Livre Xico Stockinger já teve 1,8 mil alunos, entre eles alguns dos maiores nomes da arte no Rio Grande do Sul. Atualmente, atende em média 600 estudantes e enfrenta sua pior crise, com infraestrutura sucateada e quadro de professores reduzido. No ano passado, alunos criaram o movimento S.O.S. Atelier Livre para tentar sensibilizar as autoridades. 

Banheiros interditados por uma semana Foto: Fernando Gomes / Agencia RBS
Centro abriga oficinas de gravuras e pintura Foto: Fernando Gomes / Agencia RBS

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaVocê sabe qual é o meio de transporte mais rápido na hora de pico na área central de Joinville? Confira: https://t.co/AugMvOEqmIhá 5 horas Retweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaJEC sofre segunda derrota no Campeonato Catarinense júnior https://t.co/gAyq4ukOv5 #LeianoANhá 7 horas Retweet

Veja também

A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros