Vigésima edição do Fenatib começa hoje em Blumenau - Cultura e Variedades - A Notícia

Versão mobile

Arte que educa04/11/2016 | 09h31

Vigésima edição do Fenatib começa hoje em Blumenau

Festival Nacional de Teatro Infantil tem programação gratuita até o dia 12

Vigésima edição do Fenatib começa hoje em Blumenau Danilo Sergio/Divulgação
Peça "A Farra do Boi Bumbá" é uma das escolhidas para o festival Foto: Danilo Sergio / Divulgação
“Imaginação e faz de conta podem mostrar às pessoas mundos diferentes, lugares em que elas nunca estiveram. Uma vez em que se visitou um novo lugar não há como estar contente com o atual. Aprende-se que é possível ter um mundo diferente, melhor, que as coisas não precisam ser do jeito como estão”. Quem diz isso é um dos maiores escritores de ficção da atualidade, o britânico Neil Gaiman, e expõe a importância da arte, da cultura e do imaginário na formação do indivíduo. Nesta linha, o teatro infantil é um dos caminhos de transformação não só para as crianças, mas a todos que têm contato com a arte. Professor de teatro de animação há mais de 20 anos em Florianópolis, o ator, dramaturgo, diretor e pesquisador Valmor Níni Beltrame resume:

– É preciso entender que o teatro infantil é muito mais que uma diversão ingênua.

Então abram-se as cortinas porque começa hoje em Blumenau o 20º Festival Nacional de Teatro Infantil (Fenatib), com 14 espetáculos gratuitos. Além de entreter, o evento mostra a relevância das artes cênicas na formação destes jovens cidadãos que, em tempos de internet, smartphones e propostas de reforma no ensino que reduzem a presença das artes, têm menos contato ainda com o teatro.

Teatro é desenvolvimento

Níni destaca que o estímulo à imaginação e à socialização trazidos pelas artes cênicas impactam em todo o desenvolvimento das crianças, a partir da vivência de outras visões e a criação de um olhar crítico. Um exemplo é a aplicação do imaginário na vida adulta, como explica a doutora em psicologia Marina Corbetta:

– A imaginação está ligada à capacidade de planejamento na vida adulta. Quando criamos planos estamos imaginado cenários e o teatro estimula isso na criança.

Há ainda o desenvolvimento emocional de quem é exposto às obras. Conhecimento de si mesmo a partir das vivências e emoções despertadas do palco, a capacidade de refletir e criar hipóteses sobre o que ainda não é concreto para a criança, como o amor e as regras morais.

Teatro é conhecimento

Para as crianças, o teatro é uma forma mais acessível e lúdica de tratar temas complexos e até dolorosos. É próprio das artes cênicas a exposição de assuntos como pobreza, desigualdades, direitos humanos, amor, amizade e diversidade.

– O teatro dá um acesso mais fácil a essas discussões, permite que sejam entendidos de forma vivencial. Toda peça tem um aspecto moral e ético, é importante lembrar qual é essa moral, até mesmo quando é negativa – avalia a psicóloga.

Para Níni, a questão vai também de encontro com a democratização da arte. No caso do Fenatib, além do ambiente simbólico do teatro, as peças são levadas a praças e escolas. Ele destaca a importância da arte na percepção das diferenças, que ficam visíveis não só nas narrativas, mas também nos próprios atores.

Teatro é mudança

Mudar o mundo a partir da descoberta de novos mundos pela imaginação. A fala que abre esta matéria trata de descontentamento e escapismo – sensações que nascem da criatividade trabalhada pelas artes. O teatro provoca o lado inventivo das crianças, que criam outros cenários e, assim, entendem que têm a capacidade de mudar realidades.

– É o que chamamos de empoderamento. A criança percebe que ela tem o poder de criar algo novo, de mudar o seu mundo – diz Marina.

O teatro infantil acaba provando a importância do faz de conta, até mesmo na construção da cidadania. A ficção como forma de enxergar novos horizontes.

Teatro não é só para as crianças

Paralelo ao Fenatib, ocorre um seminário de estudos sobre teatro para crianças e jovens que reúne especialistas das artes cênicas na educação e formação cultural. O debate mostra que o teatro infantil não serve só para os pequenos, mas também para os artistas ou educadores. Os reflexos dos assuntos tratados nas peças servem como combustível para debates com pais, professores e educadores.

– O teatro é também uma ferramenta pedagógica. O conteúdo das peças pode e deve ser interpretado para o ensino – afirma Marina.

Além do seminário, há ainda a nova edição da Revista do Fenatib, disponível no site do festival, que traz ensaios sobre alguns espetáculos selecionados para o evento. A publicação está sendo retomada após deixar de circular durante algumas edições do festival.

JORNAL DE SANTA CATARINA

 
 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaAcidente entre três veículos bloqueia trânsito na BR-280, em Araquari https://t.co/Zn9qoTxd98 https://t.co/5tLiPddq4Yhá 4 horas Retweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaDelegado deve concluir inquérito sobre chacina em Joinville em até 30 dias https://t.co/sZOLZeqvB0 https://t.co/dr9cGk1c9Chá 6 horas Retweet
  •  
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros