Câmara de Vereadores de Joinville entrega a Medalha de Mérito Antônia Alpaídes nesta sexta-feira - Cultura e Variedades - A Notícia

Versão mobile

Movimento Social 18/11/2016 | 08h01Atualizada em 18/11/2016 | 08h01

Câmara de Vereadores de Joinville entrega a Medalha de Mérito Antônia Alpaídes nesta sexta-feira

Prêmio homenageia quem defende a igualdade racial no município

Para a refletir sobre a importância da cultura e do povo africano na formação da cultura nacional, a Câmara de Vereadores de Joinville realiza nesta sexta-feira, às 18h, no plenário, a sessão solene de entrega da Medalha de Mérito Antônia Alpaídes. A medalha é destinada a pessoas ou instituições que, por meio de ações de arte, cultura e de desenvolvimento social tenham se destacado na defesa do povo negro.

Os homenageados são indicados pelas bancadas partidárias e a entrega da medalha ocorre anualmente no dia 19 de novembro, um dia antes do Dia da Consciência Negra (20). Neste ano, porém, como o dia 19 cai em um sábado, a sessão solene vai ocorrer no dia 18.

Leia as últimas notícias de Joinville e região. 

Conheça os homenageados

Janaina Luisa da Conceição de Oliveira – indicada pela bancada do PSD

Joinvilense, a educadora física Janaina Luisa da Conceição de Oliveira atuou em seis diferentes unidades escolares. Formada pela Univille, Janaina também é especialista em Ciência do Movimento Humano.

Em 1998 ela começou carreira como servidora da Fundação de Esportes, Lazer e Eventos de Joinville, a Felej. Em 2001 passou a atuar como coordenadora do departamento de Recreação e Lazer, função que exerce até hoje.

Janaína organizou ainda atividades voltadas para idosos e foi membro do Conselho Municipal do Idoso.

Saint Luc Fénélus (padre Lucas) – indicado pela bancada do PR
 
Nascido no Haiti e vigário na paróquia Nossa Senhora de Fátima do Itaum, Saint Luc Fénélus, mais conhecido como Padre Lucas, descobriu a vocação na primeira comunhão ainda antes de completar 10 anos de idade.

Lucas foi ordenado em dezembro de 2014, após 18 anos de preparação que incluem as faculdades de Teologia e Filosofia. A principal dificuldade de Padre Lucas nesse período foi distanciar-se da família, à qual era bastante apegado.

Em Joinville, o padre Lucas atua na pastoral do imigrante, braço da Igreja que acolhe imigrantes estrangeiros que passam dificuldades, dentre eles os seus conterrâneos haitianos.

Maria Praxedes de Miranda Rodrigues – indicada pela bancada do PMDB

Maria Praxedes de Miranda Rodrigues é professora e começou a atuar na educação infantil em 1978. Em 2010, Maria passou a atuar na educação de crianças com necessidades especiais. A educadora também trabalhou na Fundema como supervisora de educação ambiental e como auxiliar de enfermagem no Hospital São José.
Maria também foi conselheira fiscal do Ipreville e atualmente é professora da rede estadual de educação especial.

Israel Macedo Costa – indicado pela bancada do PPS

Paraibano da cidade de Cabedelo, onde nasceu em 1963, Israel Macedo Costa se formou em Teologia em 1985 e se tornou pastor da Igreja Batista. Três anos depois, Israel veio para Santa Catarina e atuou entre cortadores de madeira na região de Mafra, fornecendo alimentos, roupas e remédios.

Seu trabalho com jovens com baixa autoestima foi enriquecido por experiências pessoais com a perda do pai e de irmãos entre os 13 e 15 anos.

Atualmente, dedica-se ao aconselhamento conjugal e à terapia familiar, tendo a música como instrumento de trabalho por ser também compositor e cantor.

Angela Maria Marcos Marcelino – indicada pela bancada do PDT

A professora Angela Maria Marcos Marcelino sonhava com a profissão desde menina e realizou o sonho com a conclusão do curso de pedagogia em 1991.

Ela atuou na rede estadual no cargo de orientadora educacional na Escola de Ensino Básico João Colin.

Angela, pós-graduada em psicopedagogia, atua desde 2000 como professora na rede municipal na Escola Municipal Professora Anna Maria Harger.

Paulo Sérgio Fernandes – indicado pela bancada do PSC

Paulo Sérgio Fernandes, natural de Criciúma, atua junto a crianças carentes por meio do ensino da música e de cursos para a manutenção de computadores.

O instituto fundado por ele e que leva o nome de seu pai, Pedro Paulo Fernandes – Razão de Viver, dedica-se a afastar jovens das drogas.

Casado e pai de três filhos, Paulinho, como é mais conhecido, é estudante de História e mora em Joinville há 37 anos.

Quem foi Antônia Alpaídes?

Antônia Alpaídes Cardoso dos Santos
foi professora. Nasceu em 1904 e morreu em 1968, aos 64 anos. Atuou nas escolas Rui Barbosa, Germano Timm, Prefeito João Colin, Conselheiro Mafra, aposentou-se e continuou a lecionar como professora particular em casa.

A NOTÍCIA

Notícias Relacionadas

6ª edição 15/11/2014 | 11h22

Joinville tem programação que celebra a Semana da Consciência Negra

Atividades continuam neste sábado, 15 de novembro, e discutem políticas para a igualdade racial

Celebração afro 29/10/2014 | 09h26

6ª edição da Semana da Consciência Negra ocorre de 15 a 23 de novembro em Joinville

Serão realizadas diversas atividades durante todo o mês de comemoração

 
 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaUber começa a operar nas ruas de Joinville nesta sexta-feira: https://t.co/r0o6vU1YCx https://t.co/Z64ka18wEghá 53 minutosRetweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaHemosc de Joinville concentra a coleta de sangue no Norte até fevereiro https://t.co/2jdcNytUhPhá 4 horas Retweet
  •  
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros