"Papel-mundo" traz memórias reais e fantásticas de crianças recontadas em livros por Dennis Radünz - Cultura e Variedades - A Notícia

Versão mobile

Poéticas da Infância03/10/2016 | 06h01Atualizada em 03/10/2016 | 06h01

"Papel-mundo" traz memórias reais e fantásticas de crianças recontadas em livros por Dennis Radünz

Coleção de livros ilustrados será lançado segunda (3) em Florianópolis, junto abertura de exposição de desenhos no  Espaço Cultural do BRDE


Ilustração do livro "Declaração Universal dos Direitos das Garotas de Seis Anos" Foto: Flávia Fernandes / Divulgação

- Toda garota de seis anos tem direito a descer rios inventados com pés de pato, óculos de mergulho e colete salva-vidas.

- Todo adulto tem o dever a manter viva a memória da criança que um dia foi (ainda é?), além de lembrar dos olhos que sonham, das camisolas que voam.

- Adultos devem cultivar amizades com amigos verdes com bocas grandes como as de jacaré.

Com histórias sensíveis e visualmente belíssimos, os livros da segunda edição da coleção Papel-Mundo são um convite a chafurdar memórias do nosso eu-criança e se deliciar com a singeleza das poéticas infantis. O lançamento dos três títulos da coleção será nesta segunda (3), no Espaço Cultural Governador Celso Ramos do BRDE, em Florianópolis, onde abre também exposição com desenhos que ilustram  os livros.

Leia também
Para todos os gostos: 18 shows para curtir em outubro
Política e corrupção são pano de fundo de A lei do amor, nova novela da Globo

De autoria compartilhada, Papel-Mundo traz relatos de vivências, sonhos e memórias fantásticas de três mulheres de idades diferentes — Clara Moreiras Sena Maia Bretas, seis anos, Laura Antonow, 60 anos, e Carol Gesser, 30 anos — recontadas pelo poeta e escritor Dennis Radünz. Cada uma das histórias viraram livros com ilustrações de um artista diferente: Flávia Fernandes, Maurício Muniz e Carla Lado B.

— São memorias reais que tocam o fantástico. É um projeto delicioso e o resultado é muito peculiar. Tecnicamente indicado para crianças a partir de nove anos, mas que alcança qualquer idade — diz Dennis Radünz

Para saber dessas histórias, o escritor assumiu um papel de entrevistador. Com cada uma delas numa situação diferente, às vezes cutucando memórias — Laura, 60 anos, tinha apenas uma imagem de sua infância — ou absorvendo a torrente de informações de uma menina de seis anos.

—  Alguns elementos não estavam nos originais. Traduzi em conto o que eram memórias — diz ele.

Trata-se do reconto, gênero literário com o qual Radünz já tem intimidade.

 Exposição segue até 21 de outubro

Durante o período da exposição, crianças poderão participar de diferentes atividades como contações de histórias e visitação mediada com ações de criação narrativa. Ao final, levar para casa um exemplar de cada um dos livros e também um em branco, para criar e contar sua própria história. Ainda serão agendadas visitas com alunos de escolas públicas da Capital, cujas bibliotecas também irão receber as edições.

CONHEÇA AS HISTÓRIAS

|| Declaração Universal dos Direitos das Garotas de Seis Anos

Foto: Flávia Fernandes / Divulgação

Histórias de Clara Moreiras Sena Maia Bretas, seis anos, da convivência com a mãe cientista, dos amigos imaginários dela e de um trânsito constante entre o mundo visível e invisível. Galinhas, cachorros da raça ¿dálmata ao contrário¿, uma unicórnio chamada Blai Blai e atividade de canoagem com colchão podem ser encontradas na publicação. As ilustrações são de Flávia Fernandes, artista gráfica formada pela Udesc.

|| Lá, antigamente, eu voava devagar

Foto: Maurício Muniz / Divulgação

A delicada história de Laura Antonow, 60 anos, sobre o sonho de voar. Pequena ainda, ela trabalhava, morava longe da família, sentia saudades de casa e voar com sua linda camisola rosa era um momento maravilhoso de expressão seu ser e de seus desejos. As ilustrações são de Maurício Muniz, artista que vive na Ilha de Santa Catarina e que atua em diferentes suportes – pintura, fotografia, vídeo e instalações e voa de asa delta.

|| O meu amigo verde

Foto: Carla Lado B / Divulgação

Memórias de família da produtora audiovisual Carol Gesser, 30 anos, que foi visitar a primeira edição do Papel-mundo e disse à curadora Vanessa que tudo aquilo a fez lembrar do colega de se pai, um ¿fiscal da Fiscalização do Fisco Fiscalizante¿. Sim, para a Carol de sete anos, o pai trabalhava com um jacaré de verdade verdadeira. As ilustrações são de Carla Lado B, bacharel em desenho pela Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais que vive e trabalha em Florianópolis.

AGENDE-SE

O quê: lançamento dos livros e abertura da exposição de Papel-mundo
Quando: segunda (3), às 9h. Visitação até 21/10, segunda a sexta-feira, das 9h às 19h
Onde: Espaço Cultural Governador Celso Ramos (Av. Hercílio Luz, 617, Centro, Florianópolis)
Quanto: gratuito
Informações: (48) 3221-8100

Leia as principais notícias de Cultura e Entretenimento no DC

 
 

Siga A Notícia no Twitter

  • anonline

    anonline

    Jornal A Notícia'Não haverá confronto', afirma representante dos taxistas de Joinville após anúncio do Uber na cidade:… https://t.co/3gdvHNL0RZhá 1 horaRetweet
  • anonline

    anonline

    Jornal A NotíciaUber começa a operar nas ruas de Joinville nesta sexta-feira: https://t.co/r0o6vU1YCx https://t.co/Z64ka18wEghá 2 horas Retweet
  •  
A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros