Franciele quer ter um empreendimento próprio e aprende no dia a dia em Joinville

Vers?o mobile

 
 

Futuro decidido27/09/2013 | 19h25

Franciele quer ter um empreendimento próprio e aprende no dia a dia em Joinville

Ela é associada no Espaço Solidário, que tem assessoria do Instituto Consulado da Mulher

Franciele quer ter um empreendimento próprio e aprende no dia a dia em Joinville Maiara Bersch/Agencia RBS
As criações de Franciele agora são mais valorizadas e a fazem conhecer melhor a área Foto: Maiara Bersch / Agencia RBS
Cláudia Morriesen

claudia.morriesen@an.com.br

Até pouco tempo, Franciele Matos, 28 anos, estava fazendo o que mais gosta: assando salgados e montando tortas. Mas havia um problema. A criação ficava lá fora, longe da cozinha da padaria em que a moça trabalhava. 

— Se estava ruim ou se elogiavam, eu não tinha como saber — comenta.

Apesar de estar empregada e na área em que tinha interesse, Franciele não estava satisfeita. Ela não queria passar os próximos anos trabalhando como cozinheira na empresa dos outros. Não que considerasse o trabalho indigno, mas ela previa voos muito mais altos. Só havia um problema: ela não tinha condições de buscar cursos que a levassem para além do serviço comum. Foi quando indicaram que procurasse o Instituto Consulado da Mulher, há seis meses.

Agora, Franciele trabalha no Espaço Solidário, uma cafeteria dentro da Whirlpool Latin América, na Zona Industrial Norte de Joinville. E, mais do que isso, é uma associada do empreendimento, já que divide as responsabilidades de administrar o local com mais seis mulheres.

Juntas, elas decidem o cardápio e fazem os produtos que comercializam, que vão de coxinhas e empadas a biscoitos integrais e tortas de chocolate. Enquanto as outras estão em casa, produzindo seus quitutes, uma dupla assume o atendimento da cafeteria, em uma escala semanal decidida por elas. 

— Aqui, a gente sempre pensa no grupo e tem a mente mais aberta — define Fran.

Desde que começou a participar do projeto do Consulado da Mulher, a joinvilense participa de palestras e oficinas sobre design de produtos, empreendedorismo, gestão, marketing e gastronomia. Com estas experiências, ela se sente mais segura para pensar em um futuro como proprietária do próprio negócio. 

— Quero aprender mais sobre esta área, tentar fazer uma faculdade de gastronomia. Não quero depender das decisões dos outros — afirma. 

A NOTÍCIA

 

Siga A Notícia no Twitter

A Notícia
Busca