Conheça alguns dos projetos sociais em Joinville que promovem autonomia para mulheres de baixa renda

Vers?o mobile

 
 

Mulheres de Fibra27/09/2013 | 19h14

Conheça alguns dos projetos sociais em Joinville que promovem autonomia para mulheres de baixa renda

Os programas incluem oficinas, palestras, assessorias e participações em grupos de trabalho

Conheça alguns dos projetos sociais em Joinville que promovem autonomia para mulheres de baixa renda Leo Munhoz/Agencia RBS
Em alguns projetos, as mulheres também tem palestras sobre saúde e auto-estima Foto: Leo Munhoz / Agencia RBS
Cláudia Morriesen

claudia.morriesen@an.com.br

VIDA EM FLOR

HISTÓRICO: Em 2006, a Universidade da Região de Joinville (Univille) iniciou um curso focado em capacitar grupos femininos de baixa renda e baixa escolaridade chamado Sempre Viva.  Deste surgiram outros dois programas: o Vida em Flor, também com oficina básica, mas financiado pelo PAC (Programa de Aceleração pelo Crescimento); e o Ama Viva, para remanescentes dos dois primeiros. No caso do Vida em Flor, há uma parceria com a Secretaria de Assistência Social de Joinville, que localiza e cadastra as mulheres para a participação no curso, que tem duração de dois semestres.
O QUE PRODUZ: Bolsas, estojos e outros acessórios.
COMO FUNCIONA: as alunas tem aulas de costura, modelagem e serigrafia com professores do curso de Design de Moda da Univille. 
QUEM INCENTIVA:
a universidade oferece estrutura para aulas, professores e material didático. A Secretaria de Assistência Social auxilia no transporte e no lanche na tarde do curso. As indústrias de Joinville doam resíduos têxteis.
COMO PARTICIPAR: O cadastro é feito pelo Centro de Referência à Assistência Social - CRAS. As aulas iniciam anualmente.

AMA VIVA

HISTÓRICO: Depois do término do primeiro ano do projeto Sempre Viva, algumas participantes quiseram continuar estudando. Por isso, a Univille criou outro projeto de extensão, que congrega as artesãs remanescentes e assessora no desenvolvimento de produtos, com objetivo de produzir e comercializar os artefatos.
O QUE PRODUZ: Bolsas, estojos e outros acessórios.
COMO FUNCIONA: as alunas tem aulas de desenvolvimento de produto, marketing, empreendedorismo, além de utilizarem o laboratório de costura para sua produção.
QUEM INCENTIVA: a universidade oferece estrutura para aulas, professores e material didático. As indústrias de Joinville doam resíduos têxteis.
COMO PARTICIPAR: A participação só ocorre depois da participação de pelo menos um ano nos outros programas (além do Vida em Flor, também há um programa nos mesmos moldes chamado Sempre Viva.

ASSOCIAÇÃO MULHERES DE PANO

HISTÓRICO: Há dois anos, quando Roseli e Cristina Eicholz, mãe e filha, conseguiram parcerias para oferecer oficinas de costura. Até então, elas trabalhavam com assistencialismo no bairro, mas queriam ensinar outras mulheres para que estas pudessem ter uma fonte de renda.
O QUE PRODUZ: bolsas ecológicas, lixeiros para carro, estojos e outros produtos semelhantes que são vendidos em feiras de artesanato.
COMO FUNCIONA: as interessadas participam de oficinas de costura (são dois módulos) e, depois que concluírem, podem se associar para produzir na associação. O lucro dos produtos vendidos é revertido para a associação, que o divide entre as associadas.
QUEM INCENTIVA: ONG Moradia e Cidadania/SC
COMO PARTICIPAR: a associação fica na avenida João Schuck, 132, no loteamento Êxodo, bairro Morro do Meio.
 
COOPERATIVA FIOS E FLORES

HISTÓRICO: criada em 2004 a partir de um Clube de Mães na Comunidade Sagrada Família, no bairro Jardim Iririú. A presidente da cooperativa, Estela Rohling, atuante no clube e na cozinha comunitária, era muito procurada com pedidos de ajuda de mulheres que queriam trabalhar, mas não tinham capacitação profissional nem experiência. 
O QUE PRODUZ: bolsas ecológicas e outros produtos semelhantes. No momento, atendiam a uma encomenda para costurar coletes salva-vidas. 
COMO FUNCIONA: como é uma cooperativa, as colaboradoras dividem a renda mensal, que também é usada para pagar as contas do empreendimento.
Quem incentiva: Projeto Desenvolvimento Regional Sustentável, do Banco do Brasil e com projetos de extensão da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) e da Universidade da Região de Joinville (Univille). 
COMO PARTICIPAR: a cooperativa fica na Comunidade Sagrada Família (Rua Janaúba, 964, Jardim Iririú). No momento, não estão buscando novas cooperadoras porque não há espaço na sala que ocupam.

INSTITUTO CONSULADO DA MULHER 

HISTÓRICO: Apesar de já atuar antes com oficinas e cursos, o Instituto Consulado da Mulher começou a focar na geração de renda feminina efetivamente em 2009 com os programas Mulher Empreendedora e Usinas do Trabalho.
O QUE PRODUZ: No Espaço Solidário, as associadas criam seus produtos e vendem na cafeteria da Whirlpool em Joinville, mas há outros projetos na cidade, como o Jacatirão Café & Arte (oferece gastronomia e artesanato), que fica na rua São Joaquim, 80, Centro.
COMO FUNCIONA: o Consulado da Mulher assessora e acompanha projetos empreendedores protagonizados por mulheres para emancipá-los, fazendo com que elas conquistem melhores condições de vida.  
QUEM INCENTIVA: o Instituto é uma ação social da Consul, marca da Whirlpool Latin América.
COMO PARTICIPAR: o Consulado fica na Rua Dona Francisca, 7173, Zona Industrial Norte. Telefone: (47) 3433-3773

A NOTÍCIA

 

Siga A Notícia no Twitter

Mais sobre

A Notícia
Busca