Ações do Instituto Schwanke que marcaram Joinville - Anexo - Cultura e Variedades - A Notícia

Vers?o mobile

 
 

10 anos do Instituto Schwanke24/10/2013 | 07h03

Ações do Instituto Schwanke que marcaram Joinville

De 2003 a 2013, a entidade contou com o trabalho de voluntários para trazer importantes nomes da arte contemporânea para a cidade

Ações do Instituto Schwanke que marcaram Joinville Divulgação/Divulgação
Instalação Céu no Chão, de Letícia Cardoso, fez parte do projeto Arte Contemporânea: Intervenções e Encontros Foto: Divulgação / Divulgação

ARTE CONTEMPORÂNEA EM QUESTÃO




Palestras mensais e gratuitas sobre cinema, música, literatura, dança, performances, filosofia... 2005 e 2006 foram ricos em discussão sobre tudo o que engloba a arte contemporânea em Joinville. De fevereiro do primeiro ano a junho do segundo, os profissionais convidados não cobraram cachê. Os 11 encontros realizados no período reuniram 1.161 pessoas na sala de cinema da Cidadela Cultural Antarctica, sendo que 476 delas estiveram em mais de uma palestra. Já a segunda edição dos seminários, entre julho e dezembro de 2006, teve apoio da Fundação Cultural de Joinville (FCJ), através do Sistema Municipal de Desenvolvimento pela Cultura (Simdec), e recebeu 798 ouvintes em nove eventos.

4ª MOSTRA LATINO-AMERICANA DE ARTES VISUAIS




O projeto – com recursos do Edital de Apoio à Cultura, do Simdec – se dividiu em dois eventos, ambos realizados em dezembro de 2007: uma mesa-redonda sobre narrativas contemporâneas com os críticos de arte Fernando Cocchiarale, do Rio de Janeiro, e Tício Escobar, de Assunção, no Paraguai; e um curso com Cocchiarale intitulado Quem Tem Medo de Arte Contemporânea?. Cinquenta e três pessoas se inscreveram para participar.

ARTE CONTEMPORÂNEA: INTERVENÇÕES E ENCONTROS




Intervenções artísticas, conversas com o público e oficinas de oito horas abertas à comunidade: o projeto, realizado entre agosto de 2008 e março de 2009, consistiu na elaboração dessas atividades por cinco artistas escolhidos por meio de edital. O júri que fez a seleção foi composto pelos críticos Fernando Bini – de Curitiba –, Nadja de Carvalho Lamas e Walter de Queiroz Guerreiro – ambos de Joinville – e elegeu Ricardo Kolb, Diego Rayck, Coletivo Schokleng (formado por Jefferson W. Kielwagen e Renato Veiga), Sérgio Adriano H e Letícia Cardoso. Cada um dos cinco artistas recebeu ajuda de custo de R$ 1 mil. No total de intervenções, 2.344 pessoas prestigiaram o projeto. Esses eventos resultaram na criação de um documentário, lançado em 19 de novembro de 2009, distribuído às escolas públicas municipais e bibliotecas de Joinville. A produção do DVD foi financiada pelo Edital de Apoio à Cultura do Simdec 2009.

CURSO PENSAR SOBRE A ARTE



Com o Edital de Apoio à Cultura 2009, o instituto recebeu R$ 11 mil para trazer a Joinville os críticos de arte Fernando Cocchiarale, do Rio de Janeiro, e Angélica de Moraes, de São Paulo. Tendo como referência as obras de Schwanke, eles realizaram o curso para um total de 143 pessoas – entre alunos, professores, interessados em história da arte e associados à entidade.

PROJETO MUSEOLÓGICO MAC SCHWANKE



Com verba do Funcultural, mecanismo da Secretaria de Incentivo ao Turismo, Esporte e Cultura (Seitec), foi contratada a equipe técnica responsável pelo desenvolvimento detalhado de um plano museológico compatível com a concepção, espaço físico e acervo do museu. A dupla que executou esse trabalho foram as bachareis em museologia Mirella de Jesus Honorato e Ana Lúcia Bérgamo, que também é conservadora e restauradora. Como contrapartida social, o instituto promoveu a palestra O Que é Museu?, ministrada pela professora universitária e mestre em artes visuais Alena Marmo, no Colégio Estadual Governador Celso Ramos, em 18 de novembro de 2010. Oitenta e cinco alunos de Magistério participaram do evento.
Confira as plantas do MAC Schwanke: térreo, primeiro pavimento e segundo pavimento.

ARTE CONTEMPORÂNEA: PRODUÇÃO E CURADORIA



Nos dias 19 e 20 de agosto de 2011, Agnaldo Farias, crítico de arte e curador da 29ª Bienal de São Paulo em 2010, deu a palestra A Curadoria e o Papel da Crítica na Contemporaneidade para 157 inscritos. Em 30 de março de 2012, foi a vez do artista plástico Nuno Ramos falar para 153 pessoas sobre sua produção artística e seu processo de criação. Os dois encontros, promovidos pelo instituto com verba do Simdec, foram realizados no auditório da reitoria da Univille, com duração de seis horas cada um deles, e propunham a reflexão e a discussão sobre a produção artística contemporânea por meio da linguagem artística e sua produção, e do papel da crítica de arte frente a essa produção.

Clique aqui e confira a página especial criada para a série, com linha do tempo, vídeos e galerias de imagens.

A NOTÍCIA

Notícias Relacionadas

10 anos do Instituto Schwanke 23/10/2013 | 07h03

Artistas joinvilenses avaliam Instituto Schwanke e MAC em Joinville

Bate-papo artístico: Anexo conversou com Ricardo Kolb, Nilton Tirotti, Giovanna Fiamoncini e Sérgio Adriano H.

10 anos do Instituto Schwanke 22/10/2013 | 07h01

Chuvas e cupins travam batalha com a entidade que procura conservar o legado de Schwanke na úmida Joinville

O artista participou de aproximadamente 130 exposições. Nos 23 anos de atividade, a média é de cinco mostras anuais

10 anos do Instituto Schwanke 21/10/2013 | 07h02

Museu de Arte Contemporânea espera construção da sede oficial em Joinville

O espaço deve abrigar as obras de Luiz Henrique Schwanke, além de receber exposições itinerantes

10 anos do Instituto Schwanke 21/10/2013 | 07h01

Anexo publica série de reportagens sobre dez anos do Instituto Schwanke

Matérias apresentam os planos da entidade que tenta construir um museu de arte contemporânea em Joinville e a importância do artista que é o pai da arte conceitual em Santa Catarina

 

Siga A Notícia no Twitter

A Notícia
Busca