Museu de Imigração e Museu de Arte de Joinville inauguram espaços - Anexo - Cultura e Variedades - A Notícia

Versão mobile

Rancho e reserva técnica nova30/11/2012 | 09h22

Museu de Imigração e Museu de Arte de Joinville inauguram espaços

Público poderá visitar os ambientes e aproveitar as programações paralelas

Museu de Imigração e Museu de Arte de Joinville inauguram espaços Salmo Duarte/Agencia RBS
Rancho aos fundos da casa enxaimel do Museu de Imigração foi restaurado Foto: Salmo Duarte / Agencia RBS

Duas obras em unidades da Fundação Cultural de Joinville estão concluídas e têm inauguração nesta semana. O rancho da casa enxaimel que faz parte do complexo expositivo do Museu Nacional de Imigração e Colonização de Joinville volta a estar disponível para visitas a partir desta sexta-feira.

A reabertura oficial do espaço ocorre às 18 horas, após a apresentação do projeto "Acústico no Museu — Saraus Brasileiros", marcado para às 17 horas, na sala de piano do museu. O encontro musical tem a participação dos músicos Cláudio Moraes, Marisa Toledo e Leandro Oliveira com repertório brasileiro da primeira metade do século 20.

O Museu de Arte de Joinville também ganhou um novo espaço para acomodação de seu acervo. A reserva técnica no Anexo 2 da Cidadela Cultural Antarctica será inaugurada no domingo, dentro da programação da última edição do ano do projeto Um Domingo no Jardim do Museu de Arte. As obras de arte já foram transferidas para o local, que estará aberto para visitas com o acompanhamento de monitores ao longo da semana que vem.

A restauração de parte da casa enxaimel do Museu de Imigração começou no início deste mês, depois de lançado edital para contratação da empresa responsável pela obra em outubro. Custeada com recursos da edição 2012 do edital do Sistema Municipal de Desenvolvimento pela Cultura (Simdec), a recuperação contemplou a cobertura do ambiente que remonta a simplicidade das moradias dos imigrantes. O cômodo estava comprometido por causa da ação de cupins e foi fechado para visitas em 2011.

Segundo a coordenadora do museu, Judith Steinbach, foi necessário substituir o material usado originalmente na estrutura. No lugar do palmito, foi utilizada a madeira de eucalipto para atender às exigências ambientais. O acervo — materiais de carpintaria, pilões, carrinho de mão e outros instrumentos de trabalho — já retornaram para o rancho. O museu optou por manter a museografia original do espaço. A obra custou cerca de R$ 33 mil.

Parte da varanda do prédio principal do Museu de Imigração continua interditada. O orçamento da obra está em análise pelo Ippuj, depois que não houve empresas interessadas pelo serviço. Por enquanto não há prazo para lançamento de um novo edital.

A NOTÍCIA

 
 

Siga A Notícia no Twitter

A Notícia
Busca
clicRBS
Nova busca - outros